ARTIGO – Rota 156 é projeto vantajoso ou prejudicial para os comerciantes da avenida central do Guará II no atual modelo?

Uma postagem feita pela comerciante Angélica Mendonça, no grupo de WhatsApp Parceiros do GuaráHOJE chamou atenção na manhã desta segunda-feira (26). No texto, a comerciante mostra sua revolta ao informar que o espaço de sua loja foi ocupado por boa parte do tempo no último domingo (25) por jovens que não pretendiam consumir os produtos de sua loja, e sim fumar drogas. Na postagem, a comerciante relata que sua loja foi praticamente invadida por adolescentes, que fumavam cigarro e maconha, com som alto, bicicletas e skates  (mesmo tendo placas avisando a proibição de circulação destes itens), desrespeito com os transeuntes, obstruindo a entrada dos clientes nas lojas, dentre outros acontecimentos que tem tornado os finais de domingo extremamente desagradáveis.

A comerciante anda sugeriu, junto aos organizadores do evento e a administração, uma solicitação de policiamento durante todo o período de fechamento da via, com o objetivo de tornar o ambiente mais familiar e saudável, que é a proposta da Rota. Pois nós comerciantes estamos temerosos de um desfecho trágico, uma vez que há tanto desrespeito da parte destes jovens.

Por fim, agradeceu ao 4o Batalhão da Polícia Militar, que atendeu ao chamado dispersando a multidão.

Após a postagem, a reportagem do Blog do Amarildo esteve no Edifício Guará Shopping, onde fica o comércio de Angélica. Por lá, as reclamações são generalizada. Gerente de uma padaria, que preferiu o anonimato, informou que sua loja também passa por situação parecida durante as tardes do Rota 156. “Chegam aqui, não consomem, tomam o lugar dos clientes, jogam os guardanapos fora e ainda fazem algazarra”, comentou.

Diante de tais relatos, e depois do descaso no mês de janeiro, quando o evento de final de mês teve ruas fechadas somente ao meio dia, colocando frequentadores em risco, o Blog do Amarildo questiona: vale a pena manter esse tipo de evento no Guará? Se de um lado a proposta é diversão com segurança, do outro, pelos relatos, percebe-se um grave incômodo para comerciantes e até moradores, a medida que a organização do evento falha, como foi no dia 28 de janeiro deste ano, quando a rua não foi interditada na parte da manhã.

PUBLICIDADE

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*