Aplicativo estimula visitantes do Jardim Botânico a conhecer melhor o Cerrado

Ganhe pontos em troca de conhecimento. Essa é a premissa do aplicativo Missão Nascente, lançado pelo Jardim Botânico de Brasília para estimular o contato com o bioma Cerrado.

Em formato de jogo interativo, o visitante é convidado a conhecer a trilha da nascente do Córrego Cabeça de Veado, que fica dentro da unidade de conservação. O acesso fica próximo ao Jardim Japonês.

Desenvolvido por alunos da Universidade de Brasília (UnB), em parceria com o Jardim Botânico, a plataforma apresenta curiosidades e informações adicionais sobre a vegetação típica do Centro-Oeste. O intuito é que o visitante tenha uma experiência autoguiada.

Ao longo de 1,7 quilômetro de trilha é possível encontrar 46 placas com QR Codes (tipo de código de barra para a leitura em celular com câmera) que dão acesso a dados referentes a alguma planta ou assunto pertinente à vegetação.

Cada leitura de QR Codes gera pontos que serão acumulados em um ranking com todos os participantes do jogo. A média de duração do percurso é de uma hora e meia. Na metade da trilha, é possível conhecer a nascente do Córrego Cabeça de Veado.

Em funcionamento há um mês, e rodando em fase de teste desde janeiro, mais de 100 pessoas já baixaram o aplicativo Missão Nascente.A instalação é gratuita e está disponível na Play Store apenas para o sistema operacional Android.

De acordo com a diretora de fitologia do Jardim Botânico, Priscila Oliveira, a plataforma surgiu a partir da necessidade do próprio local de criar um incentivo para os jovens. “Essa nova geração é muito ligada no celular e não tem tanto contato com a natureza. Nossa ideia foi juntar as duas coisas para as crianças aprenderem de forma diferente”, pontua.

Lucas Guimarães, estudante de Biologia da UnB e um dos envolvidos no projeto Missão Nascente, explica que o aplicativo funciona em três temporadas distintas:

  • Temporada das águas – de novembro a março
  • Temporada da dormência – de abril a junho
  • Temporada da renovação – de julho a outubro

Para Guimarães, os nomes para cada temporada do jogo trazem uma nova concepção que sai do padrão de seca e chuva. “O objetivo é oferecer um olhar guiado para as mudanças que acontecem no Cerrado. Mostrar o que é um bioma dinâmico”, explica.

Priscila Oliveira cita o exemplo das plantas que mudam de cor de acordo com a estação. “Algumas espécies ficam verdes no período chuvoso e na seca, acobreadas. Isso chama a atenção”, explica.

As recomendações para participar do jogo é que os visitantes baixem o aplicativo em casa, pois o sinal de celular é ruim dentro da unidade de conservação, levem garrafas de água e não deixem lixo na trilha. Em dias muitos chuvosos, não é recomendado fazer a trilha.

 

Fonte: Agência Brasília / Foto: Tony Winston/Agência Brasília

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*