Carros com aplicativos em Goiás vão ter placa nas portas dianteiras identificando o serviço

Automóveis que utilizam aplicativos como Uber, 99 Pop, Easy e 99 Táxi deverão brevemente ter afixado identificação nas portas dianteiras a natureza de seu serviço. A responsabilidade pela confecção das placas é do próprio motorista e de forma que seja retirada quando o veículo não esteja em operação. Se o condutor for flagrado trabalhando sem as placas estará sujeito à multa de R$ 500 pela infração, considerada gravíssima.

Essa novidade foi publicada na sexta-feira passada (3) no Diário Oficial do Município de Goiânia acrescentada a algumas mudanças de texto do Decreto 2.890, de 6 de outubro de 2017. No decreto do ano passado, agora alteradas, a orientação era para que a identificação visual dos carros fosse afixada na parte superior do para-brisa e do vidro traseiro dos veículos.

O novo decreto traz a observação de que o motorista deve ter CNH na categoria B ou superior e que o documento contenha a informação de que este condutor exerce atividade remunerada.

Infografia do Jornal Daqui, impresso de Goiânia, mostra como será as regras

Polêmica à vista

Se por um lado as novas regras podem trazer mais segurança aos usuários desse tipo de transporte, pois, com a identificação de seu serviço, os passageiros poderão se sentir mais seguros, por outro as críticas começam a ser disparadas pelos profissionais do setor. Motoristas de aplicativos já se manifestaram temerosos pela obrigatoriedade do uso de identificação nas portas de seu veículo. “Infelizmente, ainda há certa rivalidade e conflito ainda não resolvido entre motoristas de táxi e os de aplicativo, podendo prejudicar mais o nosso trabalho”, alegam.

Enquanto isso, divergências à parte, em Brasília, a situação permanece inalterada. Até agora, não há norma de identificação de carros usados para esse fim específico, deixando passageiros à mercê da insegurança.

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*