“Casa de mãe Joana”, diz morador do Guará sobre atuação da administração na Praça Itajubá

Objetos de ambulantes ficam amarrados a postes de luz, mostrando a desordem na praça

Construída no Governo Arruda para ser principal ponto de referência de entretenimento na QE 40, no Guará, a Praça Itajubá, inaugurada em 2008, ficou poucos anos cumprindo essa proposta. Desde o governo passado a situação vem piorando. Primeiro foi a desativação do posto policial, que antes de ser demolido, era ponto de usuários e tráfico de drogas. Mas passados cerca de cinco anos do episódio, a situação só piorou.

O drama dos moradores teve ‘novo’ início de a falta de manutenção do antigo parquinho infantil. Após muitas cobranças à Administração do Guará, sem resultado, o prefeito da época, Henrique Machado passou a criticar o órgão nas redes sociais. A sensibilidade veio, mas não da Administração do Guará, e sim de um jornalista. Rafael Souza, do Jornal do Guará, juntou forças e fez parcerias com empresários locais, entregando um parquinho novinho à comunidade sem custo algum para o governo.

Objetos de ambulantes ficam amarrados a postes de luz, mostrando a desordem

Mas passados mais de dois anos, novamente a Administração do Guará voltou a interferir. Foi lá e retirou o parquinho, dessa vez alegando que não estava em conformidades com padrões estabelecidos pelas normas de segurança. Na mesma época, prometeu que construiria um novo parquinho em breve. E esse ‘breve’, já dura cerca de seis meses.

Na manhã desta terça-feira (12), a reportagem do Blog do Amarildo visitou a Praça Itajubá. “Isso aqui é uma ‘Casa de mãe Joana”, ninguém faz nada e quando faz é para piorar a vida da comunidade”, comentou o morador Lúcio Granja. Ele acrescentou que o local continua sendo um lugar para consumo e tráfico de drogas. Ele acrescenta que é uma verdadeira vergonha a situação em que se encontra a praça. “Aqui a partir das 22h pessoas do bem não podem frequentar a praça de forma alguma porque a droga tomou conta”, resume.

Lixeiras estão quebradas e enferrujadas

A reportagem constatou que após a retirada do parquinho doado por Rafael Souza, a Administração do Guará construiu apenas um circulo cercado por uma calçada no espaço. No local do antigo parquinho, apenas uma placa caída e semidestruída está no lugar, já quase encoberta por areia.

A reportagem encontrou ainda moradores de rua dentro da praça, supostamente consumindo entorpecentes e lixeiras quebradas. De positivo, apenas uma equipe contratada para limpar resto da construção da calçada em círculo.

Um email foi enviado à Assessoria de Imprensa da Administração do Guará e aguardamos retorno. Assim que receber a respostas, esta reportagem será atualizada.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*