Com pedidos de Delmasso para integração com o SIA, terminal rodoviário do Guará I é reinaugurado

Na presença do governador Rodrigo Rollemberg, secretários de Estado, diretores de empresas, do administrador do Guará André Brandão e do deputado Rodrigo Delmasso (PTN), o novo terminal rodoviário do Guará I foi reinaugurado nesta manhã de terça-feira (16/8). O trabalho faz parte de um conjunto de obras geridas pela Secretaria de Mobilidade do DF. Começou ainda no governo passado e tem recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e foi executada pela Contarpp Engenharia LTDA.

Foram investidos R$ 793.128,52 com recursos provenientes de financiamento com o BID.

Com a reforma, o local ganhou salas administrativas, lanchonete, banheiros adaptados para a acessibilidade e paraciclos. Sete linhas vão utilizar a estrutura. Entre os principais destinos estão a Rodoviária do Plano Piloto, as vias W3 Sul e Norte, Vicente Pires e Taguatinga Sul e Norte.

Evento contou com a presença do governador Rodrigo Rollemberg
Evento contou com a presença de várias autoridades, entre elas, o  governador Rodrigo Rollemberg, o administrador André Brandão e Marcos Dantas, secretário de Mobilidade do DF

A reinauguração faz parte do programa de mobilidade do governo, o Circula Brasília. Já foram entregues os terminais do Guará II, do Paranoá e os dois do Recanto das Emas. Em julho, começaram as reformas do terminal de Planaltina. Os de Samambaia Sul e Norte estão com as obras de construção adiantadas. Em 2015, o governo de Brasília entregou os terminais de Ceilândia, do Gama, do Riacho Fundo II e de Sobradinho II.

Durante a reforma, autoridades discursaram e falaram dos benefícios da obra. O governador Rodrigo Rollemberg lembrou que em breve pelo menos mais 17 novos terminais serão entregues em todo o DF.

A novidade ficou por conta da fala de Rodrigo Delmasso. O parlamentar pediu ao governador empenho para fazer uma ligação direta entre as estações de metrô da cidade para que linhas fossem disponibilizadas diretamente para o Setor de Indústria e Abastecimento (SIA). “É necessário, o SIA gera milhares de empregos e o trabalhador da cidade continua com dificuldade para chegar lá”, finalizou. (Texto: Amarildo Castro, com colaboração Agência Brasília)

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*