Com pouco pessoal, nova administradora do Guará tenta se virar como pode

Há cerca de três semanas no cargo, a nova administradora do Guará, Vânia Gurgel, vem procurando fazer o possível à frente da administração da cidade. O órgão vem sofrendo com a falta de funcionários comissionados e os que lá estão são insuficientes para gerir o trabalho rotineiro. Até o momento, a maioria das gerências não recebeu nem 50% de seu efetivo para execução dos trabalhos. Para se ter uma ideia, até o último dia 21, sequer uma secretária havia sido contratada.

Gerências como a de Cultura e Esportes nem mesmo dispõem de um gestor e tampouco funcionários de menor escalão para atender à comunidade nas tarefas mais simples. Com isso, Vânia Gurgel tem-se desdobrado em diversas atividades para suprir a ausência de pessoal. Então, é comum vê-la atendendo telefone, servindo cafezinho e em outras despachando.

Vânia em reunião com lideranças do Sof Sul: “Vamos nos empenhar em trazer soluções”

Mas as dificuldades não a assustam nem esmorecem seu ânimo. “Estamos aguardando novas nomeações e enquanto isso não acontece vamos tocando o barco, pois a administração não pode parar”, diz bem humorada, acrescentando que acredita que até fevereiro a situação já esteja normalizada e os serviços entrem no eixo. “Mas isso também não impede que eu saia às ruas mapeando as demandas pela cidade. Afinal, a população precisa de uma resposta para suas reivindicações”, arremata.

A administradora acrescenta que na última semana deste mês de janeiro o Guará deve receber a operação SOS-DF na área de limpeza. “Vamos unir nossos esforços com o pessoal da Novacap e deixar a cidade mais organizada”, completa.

Lideranças do Sof Sul visitam a administração

Na segunda-feira (21), a administração recebeu a visita de lideranças comunitárias do Sof Sul. Os comerciantes Carlos Kobayashi e Carlos Santana encaminharam a Vânia Gurgel documentação em que formalizaram solicitações urgentes para o bairro. Durante o encontro, denunciaram o aumento do número de invasões na região na virada do ano. Reclamam também da chegada da violência. “Tivemos lojas arrombadas na última semana, que causaram prejuízos aos empresários ”, queixa-se Santana.

As duas lideranças relataram para a administradora a falta de iluminação pública, problemas nas redes de água pluvial e a necessidade de reparos no asfalto das vias, entre outras demandas.

Com o documento protocolado, a administradora agradeceu a visita dos empresários e formulou um convite a outros líderes do Guará a levarem suas reivindicações à administração.

 

Publicidade

1 Comentário

  1. A região administrativa do Guará precisa urgentemente de revitalização e gente competente pra gerir a cidade.Não adianta chamar toda a liderança comunitária pra levar seus pedidos, se não começaram atender aos demais,serviços se acumulam e no final nada será feito.

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*