Conhecido em Valparaíso, Carlos Alberto (da bicicleta das latinhas) é agredido e está em estado grave

Um dos personagens mais conhecidos de Valparaíso de Goiás, o ciclista folclórico Carlos Alberto de Araújo, de 53 anos está hospitalizado em estado grave. Segundo relatos de parentes, ele foi covardemente agredido no mês de novembro por duas mulheres dentro da sua própria casa, no Parque Rio Branco. Ainda segundo relatou um parente próximo da vítima, Carlos Alberto foi agredido a pauladas, especialmente no peito. À época, ele recebeu atendimento no CAIS (Centro de Atendimento Integrado à Saúde), mas devido à gravidade das lesões, ele foi transferido para o Hospital do Gama-DF, com suspeita de trauma grave no pulmão. Lá, recebeu diagnóstico de infecção pulmonar, causada pelo trauma, além de insuficiência renal, levando-o à necessidade de hemodiálise diária.

Em dezembro a família teve que acionar a Defensoria Pública do DF para requerer uma UTI, só disponibilizada em 3 de janeiro de 2020, no Hospital de Santa Maria. O pedido foi feito via judicial.

Desde então, permanece na UTI fazendo o tratamento, mas sem previsão de alta e aguarda nova transferência para um hospital que tenha condições de fazer uma cirurgia torácica para corrigir o edema no pulmão. Se não o fizer, corre sério risco de vida, segundo a família divulgou por meio de relatos médicos.

Segundo um dos irmãos, a situação de Carlos Alberto é gravíssima, já que ele está com pneumonia agravada e insuficiência renal.

A violência

Conhecido em Valparaíso de Goiás por circular em uma bicicleta cheia de apetrechos, incluindo lixo reciclável, como latinhas, Carlos Alberto foi agredido entre no dia 12 de novembro de 2019 em sua própria casa. Segundo a própria vítima, duas mulheres o haviam pedido R$ 2 reais supostamente para comprar drogas, como negou, foi agredido a pauladas, ficando em estado grave, mas conseguiu chegar em seguida ao CAIS, de onde foi enviado ao Hospital do Gama.

Até agora, não teria sido colhido pela polícia, sequer o depoimento das agressoras e nem maiores detalhes sobre o fato. Há apenas um boletim de ocorrência feito pela própria vítima no CIOPS do bairro Jardim Céu Azul.

Nota da Redação: diante da grande repercussão da reportagem do Blog do Amarildo, a direção do Hospital de Santa Maria pediu à família que comunicasse à reportagem para retirar do ar a foto feita na Unidade Intensiva de Tratamento, alegando que não havia autorização para tal e devido a um procedimento interno do hospital. O Blog do Amarildo pede desculpa aos leitores caso tenha falhado em algo. Mas para evitar problemas, preferiu trocar a foto do abre desta reportagem. No entanto, a imagem mostrando o tratamento de Carlos Alberto havia sido autorizada pela família e não expunha o paciente a situação vexatória.

(fotos usadas neste texto são de arquivo de família)

­

1 Comentário

  1. Se a familia autorizou a foto da pessoa, o hospital n tem o que xiar, tendo em vista que o hospital em questão é ORGÃO PUBLICO e, por tal, tem publicidade aberta, n existindo direito de imagem de orgão publico. So haveria problema na exposicão da pessoa, mas como a reportagem deixa claro, foi autorizado o uso da imagem pela reportagem, não existindo assim qualquer problema em.divulgar a foto da UTI

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*