Mulher carbonizada no Guará deixa dois filhos, um rapaz de 15 anos e uma menina de 9

POR ZULEIKA LOPES – Após a repercussão da primeira postagem neste blog, sobre a morte da capoeirista Sandra Rodrigues, que teve o corpo carbonizado, a reportagem conseguiu mais informações sobre o caso. O corpo de Sandra, que tinha 37 anos ainda não foi liberado pelo Instituto Médico Legal da Polícia Civil do DF (IML), sem uma previsão para a liberação. A informação é da própria família. Ela deixa dois filhos, um rapaz de 15 anos e uma menina de 9.

Pelo menos um membro da família de Sandra, assim com a polícia suspeitam de uma pessoa muito próxima à vítima. Essa pessoa já foi presa.

O corpo de Sandra foi encontrado carbonizado em um contêiner, na QE 11, no Guará I. Ela ficou popular nos anos 90 como professora de capoeira, a qual ensinava a arte em praças públicas gratuitamente.

Amigos que a conheciam estão chocados com a notícia. Alguns relataram em grupos de WhatsApp que ela teria passado a consumir drogas nos últimos anos, o que poderia ser o elo da causa do crime.

Sandrinha ficou famosa por dar aulas de capoeira de forma gratuita nos anos 90

No início, por meio de mensagem a uma jornalista da cidade, o delegado da 4ª DP, Johonson Kennedy, se limitou a dizer que o corpo foi encontrado na tarde de domingo, QE 11, dentro de um contêiner carbonizado, dentro de um terreno baldio, onde morava um casal de moradores de rua. Porém, o policial não informou se haveria ligação destes com o homicídio. Mas em seguida, no início da noite do mesmo dia, a polícia divulgou nota aos meios de imprensa informando que prendeu o suspeito do crime.

A revelação do nome e circunstâncias do assassinato de Sandrinha no Blog do Amarildo trouxe uma avalanche de comentários nas redes sociais com pessoas ligadas ao Guará. Maioria traziam manifestos de apoio à família.

Em busca dos criminosos, polícia encontra adolescente com muito crac

 O crime da QE 11 trouxe até agora uma descoberta para a polícia. Durante buscas, agentes adentraram no Parque Ezechias Heringer, mas em vez de encontrar o (os) assassinos de Sandrinha, encontrou um adolescente com grande quantidade de droga. Ele estava com crac, pronto para a venda. Foi apreendido e a droga entregue à polícia.

PUBLICIDADE

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*