CRIME BÁRBARO – Para advogada de defesa, viúva de tenente-coronel, morto na última sexta não deverá ir a julgamento

advogadaPor: Zuleika Lopes
Advogada de defesa de Cristiana Cerqueira, viúva do tenente-coronel do Exército morto na última sexta (15), Sérgio Murilo Cerqueira, acusada de ser a mandante do crime de assassinato, juntamente com sua irmã Maria Cláudia, afirma que ela não irá a julgamento. A criminalista Júlia Oliveira (foto), com mais de 20 anos de atuação no Distrito Federal, acredita que o depoimento da acusada foi feito mediante coação e sem os devidos cuidados jurídicos. “A minha cliente foi levada à delegacia e deu depoimento sem a presença de um advogado mediante coação psicológica e o popularmente ‘chamada de orelhão’, meio de violência utilizado pela Polícia Civil que não deixa marca durante os interrogatórios. Tenho em mãos atestado médico de depressão da acusada, desde janeiro de 2015, quando passou a fazer uso de três tipos diários de medicação de tarja preta como o Alcodil. Em março, passou a tomar remédios mais fortes para pessoas portadoras de esquizofrenia, o que significa que ela estava passando por tratamento psiquiátrico e que suas palavras não deveriam ser levadas em conta”, afirma Júlia Oliveira.

Por outro lado, o advogado de defesa de Maria Claudia, irmã da viúva e também acusada de participação no crime, Rubens Memória, também declarou hoje pela manhã que sua cliente, funcionária da Secretaria de Educação do DF, estava há seis meses afastada do trabalho para tratamento psiquiátrico. Atualmente as duas estão no Presídio Feminino do Gama em uma mesma cela, pois Maria Claudia poderia estar em local reservado para pessoas portadoras de curso superior, mas dispensou para ficar perto da irmã Cristiana, que está muito abalada e sem condições de discernir a realidade da fantasia.

Apesar da tentativa da defesa em absorver os acusados, pela repercussão do crime, é improvável o que deve acontecer em relação ao possível julgamento.

A única filha do casal foi levada para o Rio de Janeiro por um tio, que entrou com pedido de guarda temporária da menor.

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*