Direção da Novacap ‘estranha’ tipo de poda realizada no Guará

Sobre o polêmico corte de árvores no Guará, trabalho iniciado desde o início do segundo semestre de 2017, sobretudo as que foram feitos por empresa terceirizada pela Novacap na QE 07 e no Centro de Ensino Fundamental 01 (CEF 1), no Guará I, o chefe do Departamento de Parques e Jardins (DPJ) da estatal, Alfred Luciano, negou,  via WhatsAspp, ao Blog do Amarildo,  que os cortes feitos nas árvores pelo topo  tenham sido feitos pela empresa. Segundo ele, as podas foram executadas por outras pessoas estranhas ao serviço, já que não há registro nem autorização dado pelo departamento para tal procedimento.

Alfred disse ainda, em relação às mangueiras existentes no CEF 01, que elas foram podadas em virtude dos riscos que estavam trazendo aos alunos. Prontificou-se até de apresentar laudo técnico de todas essas árvores comprovando a situação de risco delas. De acordo com o dirigente, o DPJ plantou quase 70 mil arbustos durante o período chuvoso, demonstrando, com isso, sua “enorme preocupação com as áreas verdes da cidade”.

A situação já tinha causado muita polêmica no ano passado, quando figueiras e outras espécies de árvores tiveram o mesmo destino em vários locais do Guará. Revoltada, a comunidade chegou a citar em redes sociais que os restos de madeiras estariam sendo levados para uma carvoaria, o que foi negado pela Novacap na época.

PUBLICIDADE

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*