Dono de quiosque no Guará fica encurralado após cercamento de terreno

local1Proprietário de um quiosque na QE 7 do Guará I que trabalha com manutenção de relógios de pulso, o comerciante William Cabral, se viu encurralado esta semana após cercamento de terreno onde está inserido o seu quiosque, na entrada da quadra. O episódio acontece porque o lote onde está seu empreendimento foi vendido para uma construtora que pretende erguer um edifício comercial no local.

Antes, William já tinha sido notificado para deixar o espaço. Chegou a receber autorização da Administração do Guará para a construção de um novo quiosque próximo à entrada da quadra. A obra chegou a ser iniciada, mas a própria administração cancelou a autorização e a Agefis derrubou o que o comerciante havia construído.

O comerciante trabalha no quiosque há mais de 18 anos e está preocupado com o futuro de seu negócio, sem saber o que irá acontecer. William espera uma resposta da Administração do Guará sobre o caso. Ele afirma que fez pedido para ocupar uma nova área, pois precisa trabalhar, e a relojoaria é o seu sustento.

De acordo com Márcio Rogério, a administração precisa obedecer a lei 4257 art. 29 de 2008 que não prever o remanejamento de quiosque enquanto não houver a conclusão do Plano de Ordenamento Territorial do DF. O trabalho está sendo realizado em cada uma das 31 RAs, mas não há previsão para o fim dos trabalhos.

Comerciante foi autorizado, em maio, a construir o quiosque na entrada da QE 7, mas a Agefis derrubou.
Comerciante foi autorizado, em maio, a construir o quiosque na entrada da QE 7, mas a Agefis derrubou.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*