Entre euforia e cautela, restaurantes recebem os primeiros clientes no DF

Mesmo após autorização para funcionar por meio de decreto governamental, muitos decidiram não reabrir ainda

Por Amarildo Castro – Embora tenha surgido uma luz no fim do túnel após autorização para reabertura, os restaurantes do Distrito Federal que conseguiram manter as portas abertas depois de 120 dias praticamente parados por conta da proibição de funcionar por causa da pandemia coronavírus, as lojas do setor começaram nesta quarta-feira, 15, um difícil recomeço. Na prática, boa parte deles, não reabriram as portas nesta data por causa do medo de contratar e depois ter que fechar, como ocorreu recentemente com as academias. Ou mesmo porque proprietários preferem cautela com um segmento retraído após tanto tempo parado.

Nos restaurantes que abriram, cuidados estão sendo redobrados

Na tarde desta quarta-feira, a reportagem do Blog do Amarildo esteve em alguns restaurantes do Guará. Para a surpresa, apenas o Chalé da Traíra, tradicional no Guará II estava com as portas abertas. No entanto, a direção afirmou que nesse primeiro momento contratou de volta somente 70% dos funcionários que atuavam antes da pandemia.

Francisca Roque, a responsável, afirmou que tomou todos os cuidados necessários, incluindo a medição de temperatura corporal para que o cliente possa frequentar o estabelecimento em segurança. Também informou que a casa trouxe algumas novidades, entre elas entregas delivery para todos os produtos.

Algumas casas, como Meire Gontijo Cozinha Mineira ainda vão manter somente o delivery por mais alguns dias

Já no Kasarão Grilll, que fica na QE 34 do Guará II, direção decidiu reabrir somente em 10 dias. “Estamos analisando a demanda e terminando uma pequena reforma, e só depois reabriremos”, comentou o gerente.

Ricardo Gontijo explica que é preciso cautela para reabrir

Já a empresária Meire Gontijo decidiu abrir somente sua Casa de lanches A Barraca. O gerente do local, Ricardo Gontijo informou eu que a tendência é que o Meire Gontijo Cozinha Mineira, do mesmo grupo, só reabrirá na virada do mês porque será necessário contratar ao menos 20 funcionários para garantir bom funcionamento, e o restaurante quer uma segurança para que continue funcionando e não recair na situação das academias, que tiveram que fechar após reabrir recentemente.

Kararão Grill, da QE 34 do Guará ainda faz pequenas reformas para reabrir

Por outro lado, funcionários que voltaram ao posto estão felizes em poder trabalhar. “Estamos em segurança, com equipamentos de proteção e com os devidos cuidados”, comentou Jociele Farias, da A Barraca.

Jociele Farias (D), ao lado da colega de trabalho Ediana: felicidade por voltar ao trabalho

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*