Entrevista/Edberto Silva – presidente do PSB (9ª Zonal)

IMG_9858“Nosso primeiro passo é coibir as invasões e organizar a cidade”

Para obter o apoio de 58,62% do eleitorado no Guará, o governador eleito, Rodrigo Rollemberg (PSB), precisou do trabalho duro da militância local. Na reta final do segundo turno, especialmente, quando seus adversários jogaram pesado com centenas de funcionários de outras campanhas a espalhar publicidade pelas ruas, na expectativa de conquistar a comunidade. Mas se sustentando na disputa sem inundar a região com panfletos, cavaletes e santinhos, o grupo venceu na cidade com uma média de quase três pontos percentuais superior ao registrado no Distrito Federal (55,26).

A campanha no Guará foi coordenada por Edberto Silva, de 49 anos, presidente da zonal do partido na cidade. Militar da reserva da Polícia Militar, ele pode ser um dos principais articuladores do governo em âmbito local, além de integrar a comissão do período de transição.

Em visita à Redação do jornal GuaráHOJE/Cidades, na segunda-feira, 3 de novembro, Edberto relatou os primeiros passos da nova gestão, reafirmou as propostas do novo governo na cidade e manteve o suspense sobre os nomes cogitados para os principais cargos da administração regional. “Nossa preocupação no momento não são os cargos, mas a situação em que estamos recebendo o governo”, diz.

Ficha

Nome: Edberto Silva

Idade: 49 anos

Atuação: presidente do PSB Zonal-Guará e coordenador da campanha de Rollemberg na cidade

Profissão: Militar da reserva da PMDF

Tempo na cidade: 30 anos como morador do Guará

 

GuaráHOJE/Cidades – Como foi possível sair vitorioso da campanha apesar da candidatura ter demorado a decolar nas pesquisas?

Esse projeto nós começamos a desenvolver em 2002, quando percebemos que o governo atual não estava de acordo com o que foi programado durante a campanha de 2010, foi nesse momento que surgiu a ideia de Rollemberg sair candidato a governador. Acreditamos nesse projeto, conversamos com a militância e com a população em reuniões. Concorremos com um ex-governador e com o atual, mesmo com todos os problemas. Mas direcionamos a campanha à população, fizemos várias rodas de conversa e aqui no Guará não foi diferente.

GuaráHOJE/Cidades – Quem no Guará está diretamente envolvido na transição?

Desde a última segunda-feira, 3 de novembro, teve essa transição com a reunião no Centro de Convenções Ulysses Guimarães. Independente para o que me chamarem, vou colaborar com meu conhecimento, principalmente na área de segurança pública.

GuaráHOJE/Cidades – Durante a campanha, e até depois da vitória, Rollemberg afirma que não há nenhum nome indicado para os cargos do primeiro e segundo escalão do governo. Como serão definidos, por exemplos, os gestores das administrações regionais?

A proposta é que haja eleição de administradores regionais, conforme está em nosso plano de governo. Mas, no primeiro momento, será indicado um nome que seja da comunidade, que more na região e conheça os problemas da cidade. Acredito que um nome vai ser apresentado a representantes da comunidade, como conselhos, associações para que se aprove ou não. Será um governo de diálogo.

GuaráHOJE/Cidades – Qual será o primeiro passo entre as propostas apresentadas para o Guará?

A questão das invasões de área pública é um problema muito grande, que foi discutido com o governador eleito. Não podemos permitir isso. Temos que impedir essas invasões, pois a cidade, e os moradores, não suportam mais. A própria gestão regional fez vista grossa a essa invasão. O que for passível de legalização será feito. Mas, principalmente, é preciso frear esse crescimento desordenado. Acredito que o primeiro passo de Rollemberg será impedir essa desordem toda.

GuaráHOJE/Cidades – Em relação à área da saúde, um dos temas mais presentes durante a campanha o que será feito?

Em nível do Guará, digo que hoje não temos um hospital na cidade, mas um posto de saúde avançado. O profissional da área será valorizado e terá condições de desempenhar seu trabalho. Nós precisamos de um hospital no Guará.

GuaráHOJE/Cidades – Rollemberg teve como principal instrumento de campanha as rodas de conversa com a comunidade e a firmou ser um gestor de diálogo. Esses eventos serão promovidos durante o mandato?

Com toda tranquilidade eu digo que essas rodas de conversas estarão presentes na agenda do governador do Distrito Federal. Acredito que os administradores regionais nomeados também deverão estar afinados com esse modelo.

GuaráHOJE/Cidades – Qual o recado para a comunidade sobre esse novo governo na região?

Gostaria de agradecer a comunidade do Guará pelos votos direcionados ao Rollemberg. Como militante de longo tempo pelo PSB e morador da cidade, acredito que ele vai fazer um governo bem diferente, que atenda às necessidades da população do Distrito Federal. Nossa capital ainda não teve um governo com esse perfil. Acredito que será um governo de muito diálogo e serviços à comunidade e espero poder reafirmar isso daqui a quatro anos.

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*