Escolas sob gestão compartilhada com PM devem ganhar mais 6 unidades

Até o fim de junho, o Governo do Distrito Federal (GDF)  promete incluir mais seis escolas públicas na gestão compartilhada entre a Secretaria de Educação, a Polícia Militar (PMDF) e o Corpo de Bombeiros Militar (CBMDF), além da pasta de Segurança Pública. Assim, será 10 instituições públicas de ensino inseridas no projeto-piloto, iniciado em fevereiro deste ano.

O governador, Ibaneis Rocha (MDB) revelou ter tomado a decisão após análises de resultados positivos de pesquisas realizadas dentro das comunidades escolares beneficiadas pela medida.

De acordo com o governador Ibaneis, a intenção é expandir o projeto com base nos resultados positivos apresentados até agora

Segundo Ibaneis, a escolha das próximas unidades será fechada nos próximos dias e atenderá um índice criado pelo GDF para analisar certos fatores, como desempenho dos alunos, taxas de evasão e de reprovação e até mesmo as ocorrências criminais registradas nas localidades das escolas. Quanto pior a situação da unidade educacional nesses quesitos, maiores serão as chances de ser escolhida para o programa.

“A partir dessa realidade, vamos priorizar as comunidades com mais necessidade de atenção imediata. Queremos iniciar esse processo nos próximos dias para que, até o fim do mês, tenhamos um total de 10 escolas atendidas pelo novo modelo, que tem sido muito bem acolhido pela população beneficiada. Depois, vamos ampliar esse projeto para até 40 unidades”, disse o Chefe do Executivo.

Outras escolas manifestam interesse

Depois de um mês da implantação do sistema nos quatro primeiros colégios, um deles na Estrutural, sob a coordenação da CRE (Coordenação Regional de Ensino do Guará), outras unidades da rede pública manifestaram interesse em participar do projeto. Diretores, professores e pais de alunos procuraram as regionais de ensino para saber como ocorrerá o processo de expansão e cogitar a probabilidade de fazerem parte da iniciativa.

Até o momento é 10 escolas, dentre elas as do Guará, e outras localizadas em Samambaia, Núcleo Bandeirante, Riacho Fundo II, Sobradinho, Paranoá, Recanto das Emas  e Estrutural. Essas instituições vão iniciar os debates com a comunidade escolar. A ideia é discutir a novidade e submeter à implementação da medida a uma votação, assim como ocorreu nas unidades em que o modelo já funciona.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*