ESPORTE – Em defesa do Cave, lideranças do Guará se unem ao governo

usarCom instalações precárias – e praticamente sem condições de uso – o Estádio do Cave (Centro Administrativo Vivencial e Esporte) tornou-se a principal preocupação das lideranças ligadas ao esporte no Guará. A reforma prevista em 2014, na gestão de Agnelo Queiroz, em que seriam destinados R$ 10 milhões, não chegou a ser executada por falta de projeto.

Sem sediar grandes partidas com portões abertos há mais de um ano, o estádio foi interditado pelo Corpo de Bombeiros com a suspensão das atividades desde o início deste ano.

O Clube de Regatas Guará, que participa do Campeonato Brasilense de Juniores, obteve uma permissão para utilizar o campo para treinos. Mas a dias de disputar as quartas de final do torneio, os jogadores do clube foram surpreendidos com a suspenção da autorização, o que gerou um imbróglio com a administração. No entanto, após reunião com a diretoria, o impasse foi resolvido. Mas os problemas com a falta de estrutura no esporte local, em especial as instalações do Cave, continuam.Leila

Visita da secretária

Com intenção de colaborar com o Guará, a secretária de Esporte, Leila do Vôlei, visitou a cidade na última quarta-feira (8) e participou de reunião com chefe de gabinete da Administração Regional do Guará, Márcio Rogério, além do diretor do Clube de Regatas Guará, Fabrízio Costa e outras lideranças.

De acordo com Leila, o governo avalia se o melhor caminho seria interditar de imediato o Cave para a reforma geral ou apenas fazer uma maquiagem para a realização de jogos do Candangão de 2016, que começa em janeiro. A secretária afirmou que pretende ouvir as lideranças do esporte local para tomada de decisão. “Em relação a uma reforma completa, precisamos tentar reaver a verba junto ao Governo Federal, e isso demora mais tempo, mas acho que é possível”, comentou.

Leila citou que a situação do futebol no DF é lamentável, já que maioria dos estádios está em situação precária. No entanto, o governo busca recursos e Parcerias Público- Privadas para realização dos jogos do Candangão com algum conforto para a torcida e sem trazer risco aos atletas. Leila se dispôs ainda a ouvir a comunidade para trazer melhorias para o esporte no Guará.

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*