Exonerações causam queda de Vânia Gurgel à frente da ADM do Guará

Por Amarildo Castro – Foi grande a repercussão após as exonerações feitas pela administradora do Guará, Vânia Gurgel na última segunda-feira (13). Depois de tirar de seus quadros pelos menos cinco pessoas com cargos importantes no Executivo local. Nesta terça-feira (14), foi a vez da própria administradora ‘provar do veneno’. Seu nome apareceu no Diário Oficial, como exonerada do cargo.

Agora a grande pergunta é: quem será o novo administrador? Em grupos de WhatsApp, alguns pedem o nome do atual Gerente de Administração, Zé Orlando, recém-empossado no cargo. Mas ele não teria nada a ver com a exoneração de Vânia, que segundo apuração do Blog do Amarildo, a queda da administradora teria sido mesmo as exonerações feitas sem consultar o governador Ibaneis Rocha (MDB). No entanto, já é quase certo que a Administração do Guará ficará nas mãos de Rodrigo Delmasso novamente, que já teria um outro nome para o cargo, e seria uma mulher.

Entenda o Caso

Pelo menos cinco exonerações feitas por Vânia Gurgel na última segunda-feira (13) sem consultar o governador Ibaneis deram o que falar. Os exonerados, segundo apuração do Blog do Amarildo são indicações do próprio governador e do deputado Rodrigo Delmasso (PRB). Embora Delmasso tenha deixado de apadrinhar o Executivo da cidade há quase dois meses, algumas de suas indicações ainda permaneciam nos quadros da administração, e por outro lado, as fotos de Delmasso e Vânia juntos nos eventos comemorativos dos 50 anos do Guará supostamente indicavam uma certa aproximação dos dois. O Blog do Amarido foi a única mídia do DF que trouxe o tema em primeira mão, e a reportagem mesmo tendo sido postada no início da noite, viralizou em todo o DF, especialmente no grupo ligado ao governador.

Mas após as exonerações, embora a reportagem não tenha falado com Delmasso, apurou que ele estaria irritado com as exonerações. Por outro lado, pessoas ligadas ao governador também reclamaram que o ato da administradora do Guará é supostamente uma retaliação perante algumas indicações.

Uma liderança local ligada ao governador, que preferiu o anonimato, mas fez questão de falar com a reportagem, disse que as exonerações não teria cabimento e foram feitas para atacar os adversários políticos da administradora.

Segundo um dos exonerados, Gilson de Souza Santos, gerente de Articulação e Coordenação da administração, ele disse que estaria sendo ‘perseguido’ pela atual gestão, e que chegou a ser acusado de fatos que não são verdade, e teria sido ameaçado com supostas provas de gravação de vídeos, mas que os vídeos sequer foram apresentados.

Outro fato apurado pelo Blog do Amarildo diz respeito à dificuldade para elaborar projetos. A administradora estaria irritada com a resistência de alguns servidores em supostamente colocar dificuldades para elaborar projetos, mas isso não chegou a ser citado por Vânia diretamente ao Blog na terça. No entanto, Vânia se mostrava visivelmente abalada com a repercussão do caso durante a conversa com a reportagem.

Dos cinco exonerados, dois eram indicações de Ibaneis e três de Rodrigo Delmasso

Ainda na terça,  Vânia Gurgel disse que tomou tal atitude porque todos os exonerados não estavam tendo o desempenho esperado para os cargos, e que pelo menos um deles vem faltando constantemente ao trabalho sem justificativas. “Eu sei das questões políticas, mas não posso ter em meus quadros pessoas que não dão o mínimo de resultado esperado, fazendo que vários projetos da ADM fiquem parados por falta de iniciativa”, limitou-se a falar Vânia.

Nos bastidores, corre boatos de que um grupo ligado ao governador e que não gostou nem um pouco das exonerações pediu na segunda-feira mesmo a cabeça’ da administradora, e que teria sido acatado pelo governador.

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*