Guará  – Após duas semanas de investigações, polícia prende três suspeitos da morte de Rubiana

Casal que era tratado como suspeito está entre os detidos, além de mais um homem que teria um breve relacionamento com a vítima

A Polícia Civil do DF começa a desvendar as circunstâncias da morte de Rubiana Rosa dos Santos, de 44 anos, morta no Guará no último dia 19 de outubro, quando despencou da janela de um apartamento na QE 40 a uma altura aproximada de 15 metros. Na manhã desta segunda-feira (4), o delegado da 4ª DP, João Maciel apresentou os três suspeitos à imprensa. Eles foram presos logo na primeira hora do dia. Tratam-se de Wilson Rodrigues de Amodeo, 37, Uarlei Alves de Lima, 29,  e Danúbia Nogueira de Santana, 23. Os dois homens foram presos no Guará, enquanto Danúbia foi presa em um hotel em Samambaia.

De acordo com o delegado João Maciel, a polícia já monitorava os suspeitos desde a primeira semana após a morte de Rubiana. No primeiro momento, somente o casal Wilson Rodrigues de Amodeo de Danúbia Nogueira de Santana eram tratados como suspeitos, mas agentes conseguiram ligar o nome de Warlei Alves de Lima à morte de Rubiana após várias diligencias, depoimentos e imagens de circuito de TV colhidos no prédio onde ocorreu o crime, na QE 40 do Guará II.

Delegado João Maciel diz que suspeitos mentem quando questionados sobre horários e onde estavam no horário do crime

 

Maciel explica que várias situações ligam o trio à morte de Rubiana. Um dos motivos apurados pela PCDF é suposto crime de feminicídio. Há indícios de que Warlei teria um breve caso com Rubiana, e que na noite do crime teria tentado manter relações sexuais com ela. Vizinhos chegaram a afirmar que a mulher teria sido vista nua pelos corredores do prédio em situação que demonstrava algum desespero.

Além disso, as circunstâncias apuradas pela polícia não ligam a morte de Rubiana às características de suicídio. Embora não tenha citado diretamente, mas especula-se que o corpo de Rubiana teria um arranhão no pescoço, como se tivesse sido ferida com um objeto diferente de outros relacionados à queda.

Agora o trio deve aguardar pela Justiça em prisão temporária, que pode ser transformada em definitiva.

Rubiana morreu em 19 de outubro passado, desde então, muitas suspeitas de crime

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*