GUARÁ – Bernardo Sayão, Guará Park e IAPI podem ter nomenclatura única

Proposta é do Legislativo e passará por audiência pública. Enquanto isso, obras paradas em alguns trechos também devem retornar até março deste ano. Apoio do deputado Delmasso pode agilizar trabalhos

Por Amarildo Castro – Depois de muitas discussões desde a entrada do novo governo do DF, encabeçado por Ibaneis Rocha (MDB), os setores Bernardo Sayão, Guará Park e IAPI, no Guará, podem ter nomenclatura unificada. A proposta é do Legislativo, encabeçada pelo deputado Rodrigo Delmasso (Republicanos), que nos próximos dias, deve enviar à Câmara um Projeto de Lei com a proposta de endereçamento único. A intenção, isso depois de ter ouvido a prefeita do Guará Park, Tânia Coelho, é manter o que  seria mais comum, Guará Park. Isso porque em todas as cartas endereçadas aos setores, já tem essa nomenclatura. No entanto, não será uma ‘camisa de força’ imposta, e antes, o deputado vai ouvir a comunidade por meio de audiência pública, que deve ocorrer já nas próximas semanas.

A prefeita do Guará Park, Tânia Coelho mostra mapa do setor: “Há muitas demandas e apoio parlamentar é bem-vindo”

Além disso, depois de muitas polêmicas em relação às obras do setor, Delmasso garantiu à reportagem do Blog do Amarildo que as negociações com a Novacap para o retorno das obras estão avançadas, e que a expectativa é que as máquinas e homens retornem ao setor para dar continuidade aos trabalhos no máximo até março deste ano. “A gente entende que é um setor importante para a cidade, e que precisa muito dessas melhorias, por isso estamos trabalhando junto ao GDF para garantir a volta das obras e levar ao setor novas melhorias”, anunciou Delmasso.

Moradores reclamam que primeira fase das obras foram malfeitas e ainda falta iniciar trabalhos no Trecho 1 e concluir no Trecho 2

Embora haja um grupo que continua a criticar pela demora das autoridades em agir no setor, outro está bastante animado com a proposta. “Já estive com o Delmasso mais de uma vez, e a gente vê seu apoio com bons olhos, porque um setor como o nosso não consegue andar sozinho e precisamos do poder público para trazer as melhorias, e tendo um parlamentar ao nosso lado, sempre nos ajuda, isso é muito importante”, pontuou Tânia.

A prefeita ainda esclarece que após a primeira etapa das obras, os Trechos 1 e 2 ainda faltam concluir o recapeamento, colocação de meios-fios e a instalação de águas pluviais. No 1, na verdade, as obras sequer começaram. Ainda há necessidade de melhorar a iluminação, que seria outro projeto, esclarece a prefeita. Tânia finaliza sua fala afirmando que o setor precisa de um padrinho político para que as obras ‘andem’, e está satisfeita com essa nova fase, esperando colher bons resultados para o setor.

A moradora Gleide Soares: “É importante a união para que os trabalhos possam volar a andar”

O anúncio sobre a intervenção de Delmasso para que as obras voltem ao bairro, assim como novas melhorias são bem vistos também pela moradora Gleide Soares, que reside no Guara Park há 18 anos. Em depoimento ao Blog do Amarildo, ela afirmou que acompanha as dificuldades e demandas da região há algum tempo, sempre cobrando do poder público por melhorias. No momento, afirmou, independente da sigla ou partido de quem queira ajudar, o apoio será sempre bem-vindo. Gleide esclarece que além das obras, o bairro precisa de creche, escolas, posto de saúde e mais segurança.

O parlamentar Rodrigo Delmasso vai se reunir com os moradores até o mês de fevereiro para audiência pública sobre o setor e ouvir demandas, mas desde já, garante retorno das obras até março deste ano

Apesar do anúncio de boas intenções para com a região, algumas pessoas ligadas a grupo que vem se opondo ao deputado Rodrigo Delmasso nas redes sociais, chamou o deputado de oportunista. No entanto, ao ser questionado pela reportagem, o parlamentar disse que trabalha por toda a comunidade, e não por quem o apoia ou deixa de apoiar. “Se demandas, a gente busca solução”, resumiu.

Situação das obras

A construção de calçadas, rede de águas pluviais e de captação de água para interligar os vários condomínios que margeiam a estrada que corta o Setor Bernardo Sayão, localizado no Guará II, e que complementariam o asfaltamento da via que ficou pronto, só que sem a conclusão ainda do canteiro central por não ter sido feita a captação da rede domiciliar, já se arrasta por cerca de dois anos. Enquanto isso, moradores da localidade e motoristas que trafegam por ali se arriscam a trafegar e andar devido à precária sinalização horizontal que já está bem apagada alertando o motorista para que pare para dar passagem a outros veículos que contornam o balão.

Para se ter uma ideia dos equívocos cometidos   pelas  construtoras que venceram a licitação da obra, dividida em cinco lotes de 900 metros para cada  uma delas, cita-se o balão defronte do Residencial Santos Dumont, na chácara 14. A rotatória fica exatamente em frente a este condomínio, sem que os motoristas que saem de lá tenham uma visão nítida de quem trafega pela avenida. Para completar o quadro de risco de acidentes – que segundo moradores não são poucos –, o aviso de pare pintado no chão nos dois sentidos já está bastante desgastado.

Riscos multiplicam acidentes

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*