INCÊNDIO NA QE 15 – Polícia apura suposta relação com vandalismo no Guará. Cachorrinha morreu e famílias estão desabrigadas

O incêndio em uma loja de estofados que destruiu toda a loja no Conjunto I da QE 15 na manhã deste sábado no Guará II teve consequências maiores que o divulgado pela mídia local. Além de quatro pessoas hospitalizadas, uma delas com suspeita de fratura, o incêndio provocou ainda a morte de uma cachorrinha de estimação do morador vizinho a casa onde ocorreu o incêndio. No anonimato, ele conta que quando ouviu o barulho do fogo se apressou em pegar a esposa e uma filha, mas sua cachorrinha continuou na casa e não houve tempo de salvá-la. Conta ainda que aluga uma casa vizinha ao mesmo local do incêndio, pertencente ao mesmo dono do terreno onde a loja pegou fogo, e  que o proprietário não apareceu no local para prestar solidariedade. Ele disse à reportagem do Blog do Amarildo que andava meio receoso com alguma possibilidade de incêndio no local, pois sabia que o material que ficava dentro da casa ao lado era altamente vulnerável a fogo.

Além da loja de estofados, pelo menos três casas foram atingidas pelo incêndio

Ao todo, o incêndio ainda causou estragos maiores. Além da loja de estofados, totalmente destruída, um carro dentro da própria loja, aparentemente um Gol antigo virou uma lata enferrujada. Outro sobrado no lote vizinho teve parte de uma parede e telhado destruídos pelas chamas.

Na tarde deste sábado a reportagem do Blog do Amarildo esteve no local e a expressões dos vizinhos ao local era tristeza, revolta e medo. “A gente sabe que esse tipo de atividade junto às residências sempre traz risco à segurança”, comentou uma moradora, sem se identificar. Outro falou que acredita ser um incêndio criminoso, mas não via nos donos da loja motivos para retaliação. “Eram pessoas boas”, comentou.

Polícia analisa imagens sobre vandalismo ocorrido na mesma madrugada para averiguar suposta relação com o incêndio na QE 15

Durante a perícia, um agente da Polícia Civil do DF disse que a corporação trabalha com a hipótese de incêndio provocado. “Não cabe a min falar, mas há informação de que um carro com pelo menos três jovens circulava pelo Guará no final da madrugada do mesmo dia. Eles, os jovens,  quebraram paradas de ônibus e tentaram provocar danos ao patrimônio público”, resumiu.

Pessoas observam situação da casa de um vizinho após o incêndio

A reportagem esteve na 4ª DP, que fica no Guará, mas ninguém quis dar maiores informações. Ligou ainda para o administrador do Guará, Luis Carlos para tentar saber qual a situação da documentação da loja de estofados, mas o chefe do Executivo informou que por se tratar de um final de semana, a documentação só poderá ser checada na próxima segunda-feira, dia 3.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*