Indicado em definitivo para assumir ADM do Guará, Luiz Carlos pede apoio da comunidade local

Por Amarildo Castro – Depois de muitas especulações e até polêmica, enfim, saiu o nome em definitivo para assumir o comando da Administração do Guará. Trata-se do gestor público Luiz Carlos Delfino do Nascimento Júnior, de 42 anos. Delfino é apadrinhado do deputado Rodrigo Delmasso (Podemos), e já teria o aval do governador Rodrigo Rollemberg para ocupar o cargo. Seu nome deve ser publicado nos próximos dias no Diário Oficial do DF.

Casado com Luana Costa, é pai de duas filhas e mora no Guará há 11 anos. Porém, frequenta o a cidade há mais de 20 anos. Durante toda a entrevista ao Blog do Amarildo, na tarde desta sexta-feira (13), fez questão de dizer que sua vida toda é no Guará, onde suas filhas estudam, faz também suas compras e convive diariamente com moradores. “Gosto daqui, de frequentar o comércio, onde estou sempre presente”, diz. Ao contrário do que muitos pensam, afirma que conhece bem a cidade.

Luiz Carlos chegou a ser empresário, mas nos últimos anos focou em outras atividades, sendo especializado em gestão pública.

Blog do Amarildo – Os moradores do Guará estão cautelosos com a apresentação do nome do senhor para administrar a cidade. O que tem a dizer?

Luiz Carlos – Entendo que o novo realmente assusta. Mas quero dizer que tenho preparo para estar à frente da administração local, e agradeço o grupo que escolheu meu nome para isso. Mas o importante é a participação do morador. Minha gestão será participativa, o gabinete estará de portas abertas para toda a comunidade, e farei questão de dar continuidade ao trabalho do André Brandão, que foi exemplar.

Então o senhor está convidando os moradores para participar de sua gestão?

Sim, este é o meu perfil. Eu amo o Guará, optei por morar aqui e hoje estou feliz de poder fazer algo a mais pela cidade. E conto com o morador local para isso.

De que forma o senhor pretende trabalhar?

Como disse, o primeiro passo é dar andamento ao trabalho iniciado pelo André Brandão. O segundo ponto é a participação de todos na gestão. O meu acesso à comunidade será fácil, não haverá burocracia. O meu gabinete será as ruas, as QIs, as QEs, a feira e as praças. Meu trabalho será itinerante.

Embora o senhor tenha dito que vai chamar para perto da administração o povo, qual é a primeira demanda a ser resolvida?

Vejo  muitas demandas nas quadras poliesportivas. Quero resolver o que falta nessas áreas. As quadras são o retrato da cidade. É lá que as pessoas se encontram, se divertem. Então precisam estar bem cuidadas.

Mais algo de imediato?

Sim. Acho que precisamos trabalhar melhor com a questão da segurança. Vou fazer uma aproximação da administração com a 4ª DP, com o 4º Batalhão e com o Conselho de Segurança do Guará, assim teremos um resultado melhor na segurança local.

Ainda há muitas invasões no Guará, o senhor pretende combate-las?

Com já havia sendo feito, vou dar continuidade. Não permitirei invasões na cidade.

Com a Parceria Público Privada já quase pronta para a gestão do Cave, os idosos correm risco de perderem seu espaço no Centro de Convivência do Idoso. O que tem a dizer?

É preciso cuidado. A questão dos idosos é séria e vamos trabalhar para que eles não percam aquele espaço. O que vamos tentar é melhorar, e não piorar.

O que acha que é preciso melhorar no Guará que não está sendo discutido na mídia?

A acessibilidade continua sendo precária na cidade, e precisamos dar mais atenção ao lazer.

Temos as obras do Cave paradas, e o esporte na cidade está sem espaço. O que pretende fazer?

Pratico esporte no dia a dia, e quero olhar par esse segmento com muito carinho. Quero colaborar com todos os esportes na cidade, seja o futebol, as lutas marciais ou qualquer outro segmento. Quem precisar de apoio pode bater na minha porta que dentro das possibilidades vou atender.

O André Brandão iniciou um projeto de padronização e ordenamento dos quiosques. O senhor vai dar andamento?

Primeiro quero entender como tudo está. Mas vejo essa questão com muita cautela, porque muitos geram empregos, e ali está sempre um pai de família. Então não tenho intenção de prejudicar ninguém. A economia está ruim, e se a gente sair por aí passando o trator em tudo, vai prejudicar muita gente. Então vamos ter uma medida de controle, com regras. Mas não temos a intenção de tirar empregos.

Qual o recado para a comunidade do Guará?

Gente, vamos trabalhar juntos, preciso de uma chance para mostrar que podemos fazer uma cidade melhor. Essa não será minha gestão, e sim a gestão do povo.

PUBLICIDADE

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*