Kartódromo – Sem ser notificado de ‘ordem de despejo’, Guará Motor Clube deve tentar acordo com governo

DCIM115MEDIADJI_0130.JPG

Por Amarildo Castro – Após causar espanto na última segunda-feira (26), a ordem de serviço da Administração Regional do Guará, que pede desocupação do Kartódromo Ayrton Senna, em 30 dias deve causar vários desdobramentos. Isso porque a estrutura da associação Guará Motor Clube, entidade que faz a gestão do espaço atualmente é uma das maiores do ramo esportivo em Brasília, gera renda para mais de 200 pessoas diretamente e não tem como atender ao pedido do governo em tão pouco tempo.

Estrutura do atual modelo de gestão tem mais de 60 box, cada um gera renda para pelo menos três pessoas (Foto: Aerto Júnior)

Responsável pela entidade, José Argenta falou com a reportagem do Blog do Amarildo na manhã desta terça-feira (27) por telefone. Demonstrando preocupação, Argente disse saber do imbróglio que já se arrasta há mais de três anos, mas novamente diz ter ficado surpreso com a atitude do governo porque haviam conversas recentes sobre deixar o Kartódromo Ayrton Senna de fora da PPP por algum tempo até que se resolvesse a primeira etapa. “Não sabemos de onde partiu a ordem, que certamente não foi da Administração do Guará, que apenas deve ter executado, mas preocupa porque existe um campeonato de kart em curso, sem contar toda a nossa estrutura que por si só é impossível de ser retirada em 30 dias sem que haja grandes perdas e prejuízos”, disse.

Argenta disse que só vai se manifestar oficialmente após notificação

Argente contou que até agora não recebeu nenhum comunicado e ainda não decidiu o que fazer quando receber o documento, mas garante que no mínimo tentará um acordo com o governo para que as pessoas não sejam prejudicadas.

Por fim, o gestor lembrou da qualidade da pista e da manutenção do espaço feito durante toda a sua gestão, especialmente nos últimos anos, onde a pista é considerada um modelo no Brasil.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*