Menina dos olhos de Wellington (em memória) Traíra sem Espinha continua sendo ponto alto da gastronomia no Guará

O mais  exótico dos pratos do bar e restaurante  Chalé da Traíra continua em alta o ano todo. Criado pela família de Wellington Oliveira na Vila Planalto, no DF, e mais tarde disponibilizado pelo próprio Wellington no Guará, a Traíra sem Espinha continua sendo o carro-chefe do restaurante, que neste mês de novembro completa 16 anos na cidade. Enquanto comandou o restaurante por 12 anos, a Traíra sem Espinha era a ‘menina dos olhos’ do empresário, que feleceu há pouco mais de quatro anos, por complicações respiratórias, mas seu legado com o prato eternizou a fama do restaurante que ele fundou no Guará ao lado da esposa Francisca Roque.

O casal fundador do Chalé da Traíra, Wellington Oliveira (em memória) e Francisca Roque, que mantém até hoje a tradição deixada pelo esposo

Praticamente todos os frequentadores do Chalé da Traíra, que fica na QE 42 do Guará II, conhecem o prato. A traíra vem da Argentina, é cuidadosamente selecionada desde a saída do país vizinho. Em Brasília, o preparo é feito no restaurante Cidade Livre, outra Casa de Francisca Roque, que hoje, ao lado de Rogério Monteiro, comanda o Chalé. Lá do Núcleo Bandeirante, as traíras são encaminhadas para o Guará, onde recebem os cuidados do chef de cozinha Edinho dos Reis.

Para chegar à mesa, todo um processo é feito. Sem revelar o segredo principal, Edinho explica que o peixe leva fubá, cebola e a fritura tem o ponto certo. Com tamanhos que vão de pequena, média, grande e GG, o prato serve de duas a quatro pessoas, dependendo do tamanho que o cliente pedir. O preço parte de R$ 50,90.

Bar/Restaurante fica na QE 42 do Guará 2

O prato, considerado exótico, atrai gente de várias cidades do DF. “Esta é a quarta vez que estamos aqui, mais para saborear esse delicioso peixe”, explica o morador de Santa Maria-DF, Felipe Santos, que no sábado (10) esteve no local com os amigos Ricardo Brito e Jéssica Brito.

Famoso por sua Traíra sem Espinha, o restaurante dispõe de um leque variado de iguarias de sabores imbatíveis e irresistíveis. Entre eles está o Filé à Parmegiana, que ganha um toque todo especial pelas mãos do novo chef Edinho dos Reis Nascimento, ou simplesmente Edinho, como é mais conhecido, há dois meses chefiando a cozinha da Casa. Antes de assumir o comando das receitas da Traíra, comandou a cozinha do Cidade Livre, no Núcleo Bandeirante, da mesma rede de restaurantes.

O garçon Francenildo com uma traíra grande partida ao meio: mesmo assim, serve até duas pessoas. Já a GG serve quatro pessoas

Por seu tempero e sabor inigualáveis, o Filé à Parmegiana, coadjuvado por arroz branco e fritas, tem o filé mignon batido empanado em ovos, misturados à farinha de trigo e de rosca. Acrescenta-se o queijo mussarela derretido junto com o molho de tomate (industrializado) ao molho de tomate natural. O tempero? Bom, isso é segredo do chef guardado a sete chaves. O prato serve para duas pessoas e fica pronto em aproximadamente 20 minutos.

Serviço:

O Chalé da Traíra fica na QE 42 ao lado do Posto BR

O Filé a Parmegiana está entre as outras opções do Chalé da Traíra para os fins de semana

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*