Morador do Guará, carioca Rodrigo Espeto faz sucesso com seu samba no DF

“Meu suor transpira samba, minha alma é meu cântico e minha arte é sambar”. Não é apenas o refrão de uma das composições de Rodrigo Espeto, morador do Guará, a mais nova  estrela que desponta no cenário musical no Distrito Federal, que veio da Baixada Fluminense, mais especificamente de Nova Iguaçu, no Estado do Rio de Janeiro.

Sua agenda está ‘bombando’. Tem compromissos até o final do ano. Mas nem sempre foi assim. Antes de aportar por aqui, em 2005, amargou tempos difíceis em São Paulo. “Cheguei a passar fome e frio na Terra da Garoa”, conta ele em entrevista concedida ao Jornal GuaráHOJE/Cidades.

 Na capital paulista, diz que tocou muito em praças e ruas, até conseguir dinheiro, R$ 120, para comprar passagem para Brasília, depois de morar em albergue por lá, onde não lhe deixavam se apresentar em shows ao ar livre. “Corri atrás de trabalho por lá, pois sou cozinheiro de profissão. Tive um restaurante no Rio de Janeiro, mas a minha arte é a música”, apressa-se em explicar.

Rodrigo Espeto relata que se decidiu por Brasília ao saber que o mercado musical na cidade é bom, inclusive para quem é também do ramo gastronômico.

Aqui, em Brasília, faz questão de reverenciar a figura do músico Faustino, a quem ele agradece a força que lhe deu o artista, que tem um grupo de samba: o Mania Carioca. Daí pra frente, narra Rodrigo, foi só ascendendo na carreira. Além de cantor, é compositor, arranjador e percussionista.

Talento precoce

Começou sua carreira musical aos 12 anos. Vindo de uma família de artistas, cresceu em um ambiente em que se respirava música, principalmente o samba, ao lado de seus pais compositores, de quem herdou um ouvido apurado. Aos 13, já tocava todos os instrumentos de percussão. O cavaquinho foi seu primeiro instrumento. Teve aulas particulares de harmonia. Anos depois começou a estudar na escola de música Claves, em Nova Iguaçu, onde aprendeu a arte de formar e dispor acordes e criar harmonias.

Rodrigo Espeto aprendeu a tocar cavaquinho aos 13 anos: talento precoce

Aos 16 anos, iniciou sua trajetória artística se apresentando em casas de show profissionalmente com seu primeiro grupo de samba, Refém do Coração. Fez parte ainda de grupos como Pura Arte, Etiqueta, Audácia Pura e Nada Igual, todos no Rio de Janeiro.

Com repertório vasto, voltado ao samba de raiz, sua simpatia e presença de palco fazem de suas apresentações um marco. Além de Brasília e Rio de Janeiro, o cantor já se exibiu em Minas Gerais (Uberlândia), São Paulo, Fortaleza e Goiânia. Já se apresentou com ícones do samba como Royce do Cavaco, Reinaldo, Toninho Gerais, Sombrinha, Arlindo Cruz, Pericles, Monarco, Mauro Diniz, Flavinho Silva, Denis do Banjo, Anderson Leonardo, Xande de Pilares e Salgadinho, entre outros.

Agenda cheia

Para agosto, anuncia, sai o seu primeiro CD, que já tem nome: Dom de Cantar. Diz que já está trabalhando na divulgação dele nas rádios de Brasília.

No dia 23 passado cumpriu mais uma agenda artística. Foi no Brasil Dring’s, em Sobradinho, onde, além de soltar a voz, ao som de seu cavaquinho, recebeu convidados, que o acompanharam em uma viagem por sucessos do samba. No dia 30, das 14h às 18h, mostrou seus dotes musicais na 503 Sul, quando deu sua contribuição ao projeto Quadradão, que engloba todos os músicos de Brasília. De lá, das 20h às 22h, agora na condição de convidado da cantora Kika Ribeiro, se exibiu no Divinos Pup’s, no Cruzeiro Center.

Em maio, a agenda está lotada. No dia 7, às 16 horas, seu compromisso é na Santa Aldeia, em Sobradinho. De lá, segue para 503 Sul, no Quadradão. Nestas e mais na Comida & Arte, na 410 Norte, dia 13, nos quais, aliás, sempre tem shows fixos agendados mensalmente.

Serviço: Contato para shows: 061 99529-1167

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*