Morte trágica do Guaraense Rubens Bonfim, de 35 anos, mostra que violência está pertinho de todos

POR AMARILDO CASTRO – Eu, você, nós, todos estamos sujeitos à violência urbana, que não escolhe lugar, nem data, dia ou hora. A morte do colega de trabalho Rubens Bonfim, revisor do Correio Braziliense, que por muitas vezes conviveu de forma alegre comigo em ambiente de trabalho durante revisão de páginas, deixa claro que a violência urbana não escolhe lugar ou horário. Informação da mídia local mostra que Rubens foi atacado supostamente por um jovem com objeto cortante no último domingo em um quarto de motel no Núcleo Bandeirante. Teve os pés e mãos amarrados e boca amordaçada antes de ser atacado no pescoço. O assassino conseguiu fugir pulando o muro do local. Rubens era morador do Guará e frequentava bares e igrejas da cidade.

Antes de continuar esse texto, praticamente em primeira pessoa, já vi nos grupos de WhatsApp o quanto a comunidade está chocada com a morte de Rubens. Ele frequentava ainda eventos culturais na cidade, especialmente nos finais de semana e tinha vários amigos na cidade.

Mas voltando ao tema violência, aqui no Guará, tornou-se comum amigos reclamarem que foram assaltados, furtados, tiveram casas arrombadas ou mesmo tiveram que brigar com ladrões para evitar roubo de celulares, ação reprovada pela polícia.

Não faz muito tempo também tive o amargo gosto de ter um carro roubado, mas felizmente a polícia agiu rápida e recuperou o veículo. Não houve vítimas. Nas redes sociais é possível encontrar vários amigos precisando de ajuda para recuperar algum veículo roubado. A diferença é que em alguns casos, esses roubos ou furtos ocorrem com eles mesmos. Além de tudo isso, agora essa tragédia com o colega Rubens, morador do Guará.

Em muitos casos a polícia tem sido muito eficiente, mas, na prática, percebe-se uma escalada do crime dentro do seio da sociedade, onde muitas vezes a polícia não consegue impedir pelas circunstâncias. E parece ter sido o que ocorreu com Rubens. Mas isso mostra o quanto as coisas mudaram, e como a cidade está mais violenta, seja nas ruas ou em ambiente privado. Em resumo, todo cuidado é pouco, seja lá onde você estiver. Faça sua oração, sempre antes de começar o dia e ao seu término, no mínimo.

O horário e local do funeral de Rubens ainda não foi divulgado pela família. (Foto reprodução)

PUBLICIDADE

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*