Movimento Habitacional está em pé de guerra para construir

 O Movimento Habitacional do Distrito Federal, composto por, cooperativas associações e entidades habitacionais, declara apoio às determinações do Tribunal de Justiça do Distrito Federal que, após auditorias no programa habitacional desenvolvido pelo governo, determinou a volta das construções dos terrenos doados pelo Governo de Brasília às cooperativas. O movimento perdeu sua força de empreendedorismo devido à interpretação errada da lei, por parte da Codhab, que passou a construir e financiar imóveis no DF e ocorrem muitas irregularidades. Uma audiência vem sendo pleiteada para que as reivindicações do movimento sejam ouvidas e atendidas pelo governador Rollemberg.
Segundo estas entidades, as pessoas que são cadastradas por elas e constam na lista da Codhab perdem o vínculo com o Movimento Habitacional e só estão tendo perdas. Atraso nas obras, edificações inacabadas e com materiais de qualidade ruim; invasões por parte de quem não é cadastrado na Codhab e outras falhas inerentes ao papel que a companhia deve exercer junto à população carente de moradia.
Marcos Reis é morador do Gama, casado e pretende aumentar a família, em breve.  Seu nome está na lista da Codhab e sua espera parecia que tinha acabado. Foi chamado pelo Programa Morar Bem para adquirir um imóvel   no Gama com entrada de R$ 11 mil e 360 prestações de R$ 2.110,00 mensais. Na sua opinião uma “parcela surreal” para quem já paga aluguel e tem as despesas com a família. “Onde está mesmo a moradia para a população de baixa renda?”, argumenta. “Sem falar na burocracia e papelada que temos que correr atrás. Não vi facilidade e nem condições favoráveis para quem pretende adquirir um imóvel”, desabafa.
PUBLICIDADE

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*