Novos administradores serão escolhidos em até seis meses, mesmo assim, lideranças do Guará fazem barulho na internet

POR AMARILDO CASTRO – A grande movimentação feita por lideranças locais em várias cidades do Distrito Federal, especialmente no Guará,  querendo ocupar cargo de adminstrador em 2019 só deve ter um efeito prático mesmo a partir do início do ano, após posse do governador eleito Ibaneis Rocha (MDB). Esta semana, no Guará, redes sociais foram tomadas por postagens de várias lideranças, que acreditam terem chances para ocupar o cargo. Mesmo assim, fontes consultadas pela reportagem do Blog do Amarildo/Jornal GuaráHOJE constataram que  a movimentação é legítima e democrática, mas muitas dessas lideranças ainda sequer conhecem a forma que realmente serão escolhidos os administradores.

Ao contrário do que alguns estão postando, até mesmo pedindo apoio em grupos de WhastsApp, o novo governo ainda não definiu abertamente como deverá ser a escolha. Ibaneis, que estava esta semana em viagem a São Paulo para uma bateria de exames e retorna a Brasília nesta segunda-feira (5) ainda vai sentar com a equipe de transição para definir os critérios para escolha dos novos administradores. Mas já se sabe que nenhuma cidade do DF terá um administrador definitivo em 1º de janeiro de 2019, quando Ibaneis toma posse.

Sua assessoria garantiu à reportagem do Blog do Amarildo que a equipe ainda estuda uma forma definitiva para a escolha, que pode ou não ser uma lista tríplice escolhida por entidades ou se terá outros critérios. No primeiro momento, quem vai administrar as cidades será a equipe de transição, que nomeará um interino por meio de decreto logo no início do mandato. Esses interinos (cada administração terá um) poderão ficar no cargo até quatro meses até que sejam escolhidos os 31 novos administradores regionais.

A assessoria de Ibaneis, no entanto, explicou que o mais provável é que as indicações sejam feita por associações e entidades representativas das cidades, que teriam liberdade para apresentar essa lista para apreciação do governador.

Até agora Delmasso prefere caltela ao falar em indicação

Mas, como já é praxe no DF, a indicação feita por  um deputado é também uma possibilidade quase certa, embora a equipe de Ibaneis negue. Maioria dos deputados eleitos prefere fugir do tema. “É muito cedo para isso, não digo que vou e nem que não vou participar dessas conversas”, esquivou-se Rodrigo Delmasso (PRB), que foi reeleito para distrital. Izalci ainda não se pronunciou abertamente, mas alguns de seu grupo apontam o pioneiro João Paixão sendo uma de suas escolhas, caso participe da indicação. No grupo de Robério Negreiros (MDB) aparece o guaraense Samuel Lima, o Samuca, com alguma chance. Samuca foi o braço forte de Negreiros no Guará, trazendo boa votação local ao parlamentar reeleito.

Maximino está entre as lideranças que colocaram nome à disposição

No Guará, os últimos dias foram de intensa movimentação nas redes sociais, Redação dos jornais e rádios comunitárias, deixando claro que o tema do momento é a escolha dos novos administradores regionais.

Movimentação intensa no Guará

Tânia Coelho aparece entre uma das postulantes ao cargo. Chegou a divulgar um banner pedindo apoio

Por meio de grupos de WhastsApp, a prefeita da Colônia Agrícola Águas Claras, Tânia Alves (PSC) chegou a enviar um currículo dos serviços prestados ao Guará, se ‘candidatando’ ao cargo de administradora. Jeferson Maximino (PP), que foi candidato a federal fez o mesmo e chegou a pedir apoio aos amigos.

No caso de Tânia, mesmo sendo forte aliada de Ibaneis, se a votação contar algo, perderia nesse quesito, já que teve 953 votos, enquanto outras lideranças locais, como o ex-administrador André Brandão (Podemos)  e Vânia Gurgel (PPS), que tiveram perto de 5 mil votos. Mas poderia pesar em favor de Tânia sua experiência como prefeita comunitária e amizade com Ibaneis.

Mas ninguém sabe ainda que o fato de ter sido bem votado pode contar pontos ou não para assumir cargo de administrador, seja qual for a cidade.

Grupo de Izalci

Outro que aparece no páreo é João Paixão, pioneiro, e fortalecido com a vitória de Izalci (PSDB) para o Senado e Flávia Arruda (PR) para federal, ele acredita que dessa vez tem boas chances de ocupar o cargo de administrador local. Falou à reportagem que seria o escolhido previamente do grupo desses dois eleitos. A matéria completa sobre sua história o leitor pode acompanhar na edição impressa do próximo sábado (10).

João Paixão seria o escolhido previamente do grupo e Izalci

Em outras vertentes ainda aparecem nomes como o ex-administrador José Orlando, que ‘grudou’ em Ibaneis durante o segundo turno, Miguel Edgar, que ajudou a eleger Érika Kokai (PT). No ‘ventilador’ aparece ainda comentários na comunidade que nomes como Célia Caixeta, prefeita da QE 46, assim como até mesmo o ex-administrador Joel Rodrigues, afastado da política há alguns anos teria chances. Mas vale lembrar que ser oposição ao governador eleito, em pouco adiantaria colocar o nome à disposição, visto o histórico para ocupação do cargo no DF.

Samuca poderia ser o indicado de Robério Negreiros

Outro fato notável é a ansiedade de alguns grupos, que chegaram nos últimos dias postarem enquetes sobre os mais populares para ocupar o cargo de administrador, especialmente no Guará. A reportagem também questionou a assessoria de Ibaneis, que afirmou que a democracia é livre, e tudo é válido, mas dificilmente uma enquete na internet teria algum peso para escolha do nome para administrar qualquer que seja a cidade.

Vale lembrar que o presidente da Associação Comercial do Guará, Deverson Lettieri, também pode ter força na indicação caso a lista tríplice vá andar. Ele não foi encontrado pela reportagem para falar do tema.

Para colaborar, o Blog do Amarildo vai divulgar esta semana o perfil de alguns postulantes ao cargo de administrador, independente da política de Ibanis.

O nome do ex-administrador Zé Orlando também é sondado no Guará

No Guará, Luiz Carlos Delfino deve sair logo no início do ano

No cargo desde a saída de André Brandão da Administração Regional do Guará, o atual administrador Luiz Carlos Delfino, que é apadrinhado de Delmasso, dificilmente se manterá no cargo a partir de janeiro. Caso Delmasso participe da indicação, a tendência é que escolha um novo nome porque dificilmente o novo governo vai manter algum administrador da era Rollemberg para evitar ‘vícios de gestão’. Assim sendo, Delfino tem pela frente mais dois meses de gestão e Delmasso já pode pensar em um novo para a indicação.

É bom lembrar que no início do Governo Rollemberg houve uma manifestação parecida com a de hoje, falando-se em lista tríplice, e que ao final não deu em nada e a indicação partiu diretamente de Delmasso, que colocou André Brandão na administração. Naquela época, os jornais da cidade até tentaram colaborar para a escolha da lista tríplice, mas de antemão, a mídia local esclarece que este ano, especialmente o Jornal GuaráHOJE/Cidades não vai participar da escolha, apenas retratar os fatos.

PUBLICIDADE

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*