Conselho Tutelar do Guará acompanha quase 30 ocorrências de abusos contra crianças e adolescentes somente em 2017

A 5ª edição da Caminhada contra a Exploração e Violência sexual às Crianças e Adolescentes no Guará foi realizada durante esta manhã, mais uma vez, atraiu milhares de pessoas, reunindo crianças, adolescentes, professores, pais e profissionais da área de proteção à infância. O tema preocupa e merece atenção, já que segundo o Conselho Tutelar do Guará, até agora o órgão já acompanhou quase 30 ocorrência de abusos e agressões contra menores somente este ano.

A passeata teve início por volta das 9h e percorreu a Avenida Contorno até o estádio do Cave, onde houve a concentração dos manifestantes, liderados por um trio elétrico, do qual, do alto do carro de som, organizadores exigiam mais respeito às crianças, ao mesmo tempo em que davam orientações e ministravam os cuidados básicos para evitar a violência contra os menores, tanto no aspecto sexual quanto doméstico.

Segundo o conselheiro tutelar, Wandir Morais, o Guará continua registra altos índices de violência contra esse público. Explica que toda a semana os conselheiros estão na 4ª DP para acompanhar as ocorrências. Informa também que, em 2017, o que mais chamou a atenção foi a quantidade de adolescentes e crianças que fazem denúncias de abusos e maus-tratos durante as palestras rotineiras que os conselheiros têm com eles. Wandir relata que no Guará este ano, até agora, cerca de 30 ocorrências envolvendo abusos contra menores já foram registradas na 4ª DP. O número, segundo Wandir, está entre os mais altos do DF.

Relata ainda que há casos que fogem ao padrão, como o que aconteceu recentemente em que uma jovem de 18 anos foi acusada de abusar de uma menina de apenas três anos. Detalhe: segundo o conselheiro, são primas. “É preciso cuidados constantes dos responsáveis. Como, por exemplo, ficar atento ao que assistem na internet; o comportamento das crianças e adolescentes se andam irritadas, tristes, apáticas ou arredias; marcas pelo corpo, que podem ser frutos de alguma agressão física ou de abuso sexual; e ao vocabulário delas, pois muito do que falam podem estar revelando algo mais sério que esteja acontecendo com elas”, foi algumas recomendações dadas por Morais.

No Guará são cinco conselheiros tutelares para cuidar de toda a população desses jovens durante 24 horas. O horário de atendimento é das 8h às 18h e é feito na QE 26 Conjunto K casa 2. O atendimento prestado pelo sistema de plantão é pelo tel. 99241-5985 ou 3381-9652.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*