Poda de árvores no Guará causa polêmica e alguns moradores se dizem revoltados

A operação Cidades Limpas deflagrada nesta semana pelo Governo de Brasília, e que contemplou o Guará, trouxe também reclamações de moradores e lideranças locais. O problema não é exatamente o serviço de poda, mas sim a forma como está sendo conduzido os trabalhos.

A reportagem do Blog do Amarildo recebeu, pelo menos, dez mensagens contendo reclamações que denunciam suposta irregularidade nos trabalhos. Entre os problemas apontados por esses moradores estão cortes por completo de árvores sem motivo aparente. Algumas, mesmo jovens, cerradas em sua base, ou no seu topo, deixando-as totalmente desprovidas de galhos e folhagens.

Árvore cortada pela base na QE 44 causou revolta de moradores

Arbustos da QE 44 são exemplos. O morador Wagner Sampaio, residente nessa quadra, reclama que está faltando critério e até mesmo respeito ao meio ambiente. Para ele, é bem-vinda a poda, mas faz restrições. “Não é possível e é estranho que as equipes de trabalho tenham autonomia pra fazer o que bem quiserem”.

Sampaio diz que em relação às podas de árvores no Guará o que vem ocorrendo é um verdadeiro “absurdo”. “Diversas árvores estão sendo mutiladas ou cortadas sem nenhum laudo de doença, simplesmente por decisão de quem as podam. O que é pior nisso tudo é que se você for conversar e disser do benefício que as mesmas estão oferecendo o coordenador, de forma arrogante, diz que está fazendo o seu trabalho, e quem está reclamando devia procurar lavar roupa. A impressão é de que o governo quer ficar muito sem voltar a realizar o trabalho, por isso autoriza a mutilação das árvores, já que esse tipo de ação governamental parece que só ocorre de dois em dois anos”.

Gaspar Antunes, morador da QE 26 diz que árvores com ninhos de pássaros estão sendo destruídas, e o micos que moram no topo das árvores da praça agora não tem para onde ir

Na QE 26, onde a equipe faz o mesmo trabalho, nesta quinta (27), sobram também reclamações. Monica Coelho, moradora da quadra, diz que o trabalho está sendo executado de forma exagerada, tirando a sombra que as árvores produzem. “Deveriam fazer o trabalho sem prejudicar tanto o verde. Da forma como está sendo feito vai prejudicar também as pessoas, principalmente as crianças”.

 

Já Gaspar Antunes, residente na mesma quadra, reclama que estão podando as árvores de um jeito que vem afugentando os pássaros. Segundo ele, duas casas de João-de-barro foram derrubadas de uma mesma árvore.

O Blog do Amarildo tentou insistentemente falar diretamente para o celular do administrador André Brandão e do deputado Rodrigo Delmasso (Podemos), responsável por ter pedido a operação Cidades Limpas para o Guará, mas não obteve ainda o retorno deles. No entanto, a reportagem continuará tentando contato.

Os reclamantes pedem que sejam avisados a respeito do problema. A reportagem do Blog apurou que as árvores que estão sendo derrubadas estariam com problemas, com possibilidades de queda. Porém, não foram apresentados à reportagem nenhum documento comprovando tal situação.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*