Pré-candidato do Park Way e ex-morador do Guará quer trazer experiência comunitária bem-sucedida

Do alto de sua larga experiência como liderança comunitária onde militou por mais de 20 anos à frente da Associação de Moradores do Setor de Mansões Park Way, tendo residido no Guará I dos 12 aos 38 anos, na QI 9, o pré-candidato a deputado distrital Francisco Molina pelo Partido Republicano Progressista (PRP), a despeito de se considerar não político do ponto de vista estritamente partidário, disse ter-se decidido se candidatar mais pela persuasão de amigos que granjeou tanto aqui na cidade como no Park Way.

Levado pelas ideias e projetos que desenvolveu quando vice-presidente da associação comunitária do SMPW, Molina declarou que teve que deixar essa atividade, que ocupou por muitos, contrariando os pedidos da comunidade para que continuasse. “Acho que chegou a hora e o momento político requer o resgate da credibilidade da política, que, quando bem empregada, é um instrumento fundamental na transformação e conscientização da população”, avalia o analista de sistema, que traz em sua bagagem propostas e ideias simples, porém, inovadoras e que podem trazer grandes benefícios à comunidade.

Molina diz que um deputado precisa conhecer e entender de ações comunitárias, e que elas mudam a vida da sociedade

Movido pelo interesse público e pautado pelas prioridades da coletividade, espera cumprir aquilo que o cidadão quer. “Como gestor tanto da área pública quanto da privada, minha visão é primordialmente técnica. Não sou político, mas quero dar minha contribuição de forma competente e responsável”, diz ele citando uma de suas ideias, que acabou se transformando no Projeto Fibra, que hoje está em franca execução, operado por três empresas que atuam no fornecimento dessa tecnologia no Park Way, tornando a internet mais ágil e eficaz entre grupo de moradores do bairro. “O serviço já vem sendo feito há mais de nove meses, atendendo com qualidade e agilidade a mais de 20 mil pessoas, que dispunham de aparelhos avançados, mas sem uma infraestrutura capaz de solucionar as suas necessidades”, revela.

Outro projeto de sua autoria, também no campo da informática, que ele anuncia ser de aplicação simples e sem grandes custos é a que denomina Fábrica do Saber. “Usando a tecnologia digital, é voltado eminentemente para área educacional, ensinando a criança sobre valores culturais, éticos de forma a melhorar a visão de mundo dela quando cidadão se formar”, receita.

Acrescenta que quando se filiou a um partido teve em mente selecionar aqueles que eram condizentes à sua maneira de ver a política, que, para ele, necessariamente não precisa ser sectária ou prosélita. “Você não precisa ser um político nos moldes do que se vê comumente no Brasil e sim propagar os conhecimentos e experiências para o bem da comunidade, que satisfaça as necessidades das populações das cidades”, conceitua. Segundo ele, a proposta do PRP foi a que mais lhe sensibilizou e vem ao encontro às suas ideias.

Indagado sobre questões prioritárias no Guará, Molina diz que as demandas devem ser cuidadosamente estudadas antes de sua execução. A começar pelo comércio, aponta ele. “Há que se valorizar o empreendedor, o que se pode fazer de diversas maneiras, incentivando-os. É preciso reunir com eles, com o governo e a sociedade organizada a fim de equacionar os múltiplos interesses envolvidos de cada setor. Já passou o tempo de o morador ser apenas um ocupante de um imóvel; é preciso defender a cidade, ser mais participativo. É o caso, por exemplo, do transporte público cujo problema se arrasta há anos sem que se chegue a resolvê-lo. Os donos de empresas de ônibus são prestadores acima de tudo de serviço,  que não busquem apenas o lucro com a atividade, atendam à população carente de fato e de direito, afinal estes são os maiores usuários do transporte coletivo”, define.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*