Profissionais transformam Hospital Regional de Formosa em excelência no atendimento

Compartilhe nosso Trabalho

Pesquisa de satisfação e qualidade de serviços tem resultados crescentes desde o início da estadualização 

A busca constante do Hospital Regional de Formosa pela qualidade e humanização da saúde vem impactando na percepção positiva dos pacientes e familiares em relação à qualidade do atendimento.

Pesquisa recente com pacientes e familiares do Hospital Regional de Formosa revelou que 100% dos entrevistados consideram o atendimento na clínica médica entre bom e ótimo. O Pronto-Socorro obteve uma taxa de geral de aprovação de 96,4%, enquanto a clínica obstétrica registrou um índice de aprovação de 95%. O HRL possuí um percentual total de satisfação de 95,9%.

Por traz dos indicadores positivos está uma equipe de profissionais, muitos invisíveis para a população por não estarem na linha de frente,  mas que são essenciais para o bom funcionamento da unidade hospitalar.

No dia a dia, recepcionistas, maqueiros, nutricionistas, seguranças e enfermeiros fazem a diferença no atendimento, usando a empatia para transformar pequenas ações em excelentes resultados.

Em um ambiente cheio de corredores, quartos e UTI’s, um verdadeiro exército de salvação passa, muitas vezes, despercebido. Entre tantos está, por exemplo, o vigia Marcos Vinícius Rodrigues, que exerce a função importantíssima no primeiro atendimento a pacientes e familiares. Em seu posto, é ele quem faz a primeira abordagem e, consequentemente, a ser impactado com as situações do cotidiano.

“São muitas histórias de sofrimento que atravessam a porta. Gente desesperada e precisando de atendimento e de uma palavra de conforto e esperança. É assim que os recebemos aqui no hospital”, diz Rodrigues.

O maqueiro Washington Mendes da Silva, conta que em um de seus plantões precisou ser ágil durante um trabalho de parto. “Tivemos que sair correndo com a mãe na cadeira de rodas direto para o centro obstétrico. A criança quase nasceu nas minhas mãos”, relembra emocionado.

Segundo a nutricionista Thayssa Carvalho, o trabalho das copeiras é fundamental na alimentação dos pacientes. “Muitos não conseguem se alimentar por causa das doenças. Entramos com apoio e paciência e quando ultrapassam essas dificuldades sabemos que fizemos um bom trabalho”.

Reconhecimento da população

A pesquisa realizada pela ouvidoria do hospital também revelou aumento da agilidade nos serviços de atendimento da recepção, diminuição do tempo de espera, atendimento da equipe de enfermagem, realização de exames e satisfação com o retorno médico. Houve também um aumento na satisfação com o vestuário da equipe, roupas de leito, limpeza, alimentação servida e com a cordialidade da segurança.

“Procuramos estar sempre presentes da entrada do hospital até a unidade de terapia intensiva. A opinião de pacientes e familiares é importante para a implementação constante de melhorias”, explica Rany Espindula, coordenadora da ouvidoria do HRF.

Ecco Comunicação (Texto e foto)

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*