PT faz plenária no Guará para discutir rumos do partido para 2018 e situação atual do DF

A Executiva regional do Partido dos Trabalhadores (PT) se reuniu na manhã do domingo (30) para analisar os efeitos da conjuntura política, partidária e econômica do país, em especial o Distrito Federal, comandado atualmente por Rodrigo Rollemberg (PSB).

Segundo o presidente do PT-DF, Roberto Policarpo, muitas coisas precisam ser revistas internamente para que a legenda possa se posicionar definitivamente como esquerda ao atual governo. “Reconhecemos que algumas ações precisam ser tomadas, e que é necessário uma coesão maior de lideranças locais para cobrar melhorias para a cidade”, citou Policarpo.

Ele adiantou que na área da Saúde, onde há a maior crise, o atual governo tenta a todo custo passar a culpa para a gestão passada, mas não reconhece que Agnelo Queiroz conseguiu evoluir bastante nessa área, mas não soube divulgar bem o seu governo, e essa seria a principal causa da derrota em 2014, quando não foi sequer para o segundo turno. Policarpo afirmou que vê o atual governo meio perdido.

O presidente da legenda no DF, Roberto Policarpo garante articulação para 2018
O presidente da legenda no DF, Roberto Policarpo garante articulação para 2018

O ex-deputado entende que a derrota de Agnelo em 2014 não tem nada a ver com corrupção ou qualquer outra vertente, como a mídia tenta ‘plantar’. “Faltou comunicação”, resumiu.

Sobre as eleições de 2018, Policarpo afirmou que a tendência é que o PT forme uma ampla frente de esquerda para a disputa majoritária, mas não garantiu se a legenda terá candidato próprio no DF.

No que diz respeito ao Guará, o presidente da zonal, Wagner Sampaio, informou que o partido vai passar por uma reorganização interna, e outras reuniões locais devem ocorrer nas próximas semanas para definir as ações. “A cidade não está boa, mas nós temos que fazer nossa parte que é cobrar, fazer o papel de uma oposição madura e responsável”, comentou Wagner.

Para o militante José Zunga, presente no evento, falta ao PT um novo organograma de trabalho, e nesse sentido, as lideranças devem representar um papel fundamental para reerguer o partido.

site-2
Para José Zunga, partido tem que buscar suas raízes

Já Socorro Torquato, que foi administrador da Vila Estrutural na gestão passada pediu mais união de seus membros e mais empenho. “Temos três deputados distritais, e um federal, sem contar que o partido teve a terceira maior votação nominal nas eleições deste ano, então somos fortes sim”, relatou.

A federal Érica Kokai esteve no evento, mas teve que se ausentar mais cedo para outro compromisso.

PUBLICIDADE

unnamed

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*