Sem ambição política, consultor ambiental luta para preservar verde no Guará

O consultor e gestor ambiental, com pós-graduação em Gestão Pública, Cristiano Monteiro, 40 anos é uma dessas pessoas que não traz em sua bagagem só a formação na área a que se propôs a trabalhar. Toda a sua vida, segundo ele, desde os tempos de criança, conspirava à vocação que lhe destinava um papel a desempenhar na sociedade.

“Minha relação com a ecologia é atávica, está no sangue”, admite. Conta que uma tia, dona de uma propriedade rural, que mais tarde a transformou em um hotel fazenda, motivou os seus primeiros passos rumo ao amor à natureza.  Contatos com pessoas, sobretudo com o cientista da Embrapa (Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária), Roberto de Bem, o impulsionaram de vez a se dedicar à defesa das questões ambientais.

É com profunda tristeza que o assessor de projetos à área ambiental do deputado federal Izalci Lucas (PSDB) diz ver hoje o estado a que está relegado os mais de 85 parques ecológicos e vivenciais do Distrito Federal. “A maioria deles, infelizmente, abandonados”, lamenta.

Diz que esse quadro o levou a entrar na política. “É o meu maior desejo, com a força de um mandato, resgatar as áreas verdes não só do Guará, mas de todo o DF, pois representam um ganho considerável à qualidade de vida da população”, prega.

Cristiano Monteiro mostra lisa com abaixo-assianado por ações em defesa do meio ambiente no Guará

Nem só de discurso ambientalista pauta a vida de Monteiro. Sua trajetória sempre foi marcada pela militância e luta em favor do verde. Pelo Guará, onde morou por muitos anos, em 2007, lançou um movimento no meio comunitário denominado Guará no Coração, que, de acordo com ele, vai além da temática ecológica e que envolve outras questões, entre as quais a educação ambiental.

Membro do Fórum pela preservação do Parque Denner, faz ainda de Cristiano ser um ativo defensor de uma maior qualidade de vida da cidade. Seu trabalho de conscientização da comunidade é constante. Utiliza as redes sociais como instrumento aliado aos seus ideais. Possui uma página no Facebook, chamada Amigos do Guará. Não obstante, promove, organiza e estimula a realização de audiências públicas, caminhadas, palestras, tudo como forma de criar uma consciência coletiva para as questões ambientais. “É um jeito de mobilizar as pessoas e mantê-las frequentemente engajadas nessa luta a fim de se evitar a degradação dos parques”, ensina o ambientalista, que, em 2012, lançou também um manifesto em prol da preservação biológica do Parque Ezechias Heringer.  Ele diz que qualquer um pode ser um agente ambiental, denunciando ou procurando de alguma forma ser útil à causa.

 

 

 

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*