TJ-GO valida concurso da Câmara de Valparaíso realizado na gestão de Elvis Santos

Desembargadores avaliaram que não há impedimentos para chamada dos 43 aprovados em 2016

Por Amarildo Castro – Em votação para análise do concurso público da Câmara Municipal de Vereadores, realizado pelo Instituto Cidades em 2016, e que havia sido anulado pelo Ministério Público de Goiás, comarca de Valparaíso por suspeita de irregularidades, o Tribunal de Justiça de Goiás (TJ-GO), validou o certame esta semana. Os desembargadores pedem que seja feito os trâmites de imediato para que os 43 aprovados sejam conduzidos à Casa, e segundo levantamento feito pela reportagem do Blog do Amarildo, o Legislativo de Valparaíso já teria sido comunicado sobre a decisão. A reportagem ainda não conseguiu falar com o presidente Plácido Cunha (Avante) para saber a cronologia dos procedimentos, e se o parlamentar pretende de imediato chamar os concursados.

Todo o processo do certame de 2016 foi conduzido na Câmara pelo então presidente, Elvis Santos (SD). Hoje, Elvis acompanha de perto a situação por acreditar que a justiça em algum momento teria que ser feita.

Mesmo com alguns procedimentos burocráticos ainda em trâmite, a notícia soa como um alívio para os mais de 40 aprovados no certame. Desde que o concurso foi suspenso pelo MP-GO, eles, os concursados e não chamados para os cargos, fizeram várias manifestações na cidade e sempre que podem, pedem pelas nomeações. Agora, não se sabe ainda se serão convocados de imediato ou se precisarão novamente recorrer à Justiça pelas nomeações.

Para Elvis Santos, presidente do Legislativo em 2016, data do certame, a notícia da validação do concurso soa como um alívio para todos os aprovados e espera, enfim, que justiça seja feita. “Foi uma grande covardia com essas pessoas que tanto lutaram pela aprovação, elas já mereciam há muito tempo ocuparem seus cargos, e à época, cheguei a nomeá-las”, cita o hoje empresário.

Elvis comenta também que o Instituto Cidades é o mesmo que esteve à frente do certame da Prefeitura de Valparaíso em 2014, e que o Executivo local já contratou diversos aprovados, enquanto a Câmara não pôde. De acordo com o ex-parlamentar, os procedimentos do concursos da Câmara usados pelo Instituto Cidades foram os mesmos adotados no concurso da prefeitura.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*