Uso ‘imóvel’ de novas viaturas da PM em frente a semáforos causa enxurrada de críticas

A apresentação das novas 145 novas viaturas da Polícia Militar do Distrito Federal à comunidade está causando uma enxurrada de críticas da comunidade e de veículos de comunicação. Nas últimas 24 horas praticamente todos os meios de comunicação de maior alcance do DF reportaram sobre a forma de apresentação das viaturas. Elas foram colocadas próximas a semáforos e locais estratégicos de grande movimento, mas estão impedidas de atender ocorrências pelo 190.

Uma das reportagens que tratam do tema no site G1, diz que a PM informou que as viaturas ficam imóveis nesses pontos das 6h30 até as 23h.

No Guará, as viaturas estão, em especial, ao longo da Avenida Contorno. E como disseram os meios de comunicação: imóveis.

Para o presidente do Conselho de Segurança, Antônio Sena, uma viatura no valor de R$ 100 mil não pode ficar desse jeito. “Elas precisam entrar de fato em serviço”, citou. Ele ainda lembrou que nas últimas horas no Guará, até um deputado (Roney Nemer) foi assaltado, além de outros crimes de menor potencial.

Ele ainda questiona quem teria dado a autorização para que esses carros fossem exibidos dessa forma. “Carro de polícia é para trabalhar, não para exibir”, completa.

Na próxima segunda-feira (13), a reportagem do Blog do Amarildo tentará ouvir no novo comandante do Guará, Major Vieira sobre a situação local.

Lançamento da Operação Argus na última quarta-feira reuniu a cúpula da PM no Guará

Operação Argus

Indiferente à polêmica com os novos carros, a Polícia Militar, por meio do Comando de Missões Especiais (CME) relizou na última quarta-feira (10) mais uma edição da Operação Argus. A Região Administrativa que desta vez recebeu o reforço no policiamento será o Guará.

A Operação consiste no emprego de todas as unidades especiais subordinadas ao CME, entre elas o Batalhão de Operações Especiais (Bope), o Batalhão de Policiamento de Choque (BPChoque), a Rotam, o Batalhão de Policiamento com Cães (BPCães), entre outras unidades.

O objetivo, segundo a PM,  é reduzir os principais índices criminais saturando as regiões com incidência de delitos. Para isto, foram realizadas análises de estatísticas criminais para melhor direcionar o policiamento. Para isso, serão empregados cerca de 200 policiais além do efetivo que diariamente atua em todo o Guará.

 

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*