VALPARAÍSO- Crise hídrica deve acabar no DF e entorno com a chegada de Corumbá IV

Na última quarta-feira, (17), comitivas dos governos federal, de Goiás e do Distrito Federal realizaram vistoria das obras do Sistema Produtor Corumbá IV. A obra localizada no município de Valparaíso de Goiás é indispensável para garantir a segurança hídrica tanto do Distrito Federal quanto das cidades do entorno por 30 anos.

A obra está orçada em R$ 550 milhões, divididos de forma igualitária e executada por meio do Consórcio Corumbá – Saneamento de Goiás S.A. (Saneago) e Companhia de Saneamento Ambiental do Distrito Federal (Caesb).

Segundo os governadores Marconi Perillo (Goiás) e Rodrigo Rollemberg (Distrito Federal), a perspectiva é que o sistema seja entregue em agosto de 2018 para início da fase de testes. “A expectativa é que o sistema beneficie na fase inicial cerca de 1,3 milhão de moradores de Goiás e do Distrito Federal e forneça inicialmente 2,8 mil litros de água por segundo”, comentou o governador Marconi Perillo.

Em fase plena de execução deve atender aproximadamente 2,5 milhões de usuários com 5,6 mil litros por segundo, sendo metade para Goiás e a outra parte para o Distrito Federal.

Em discurso Marconi destacou que o Sistema Produtor Corumbá IVé singular porque em todo o Brasil a obra de captação de água tratada em terras goianas é a maior em execução.

Rodrigo Rollemberg evidenciou que o abastecimento de água é uma questão estratégica para o Distrito Federal e para toda a região do entorno sul. “Há 16 anos não se faziam investimentos em captação e tratamento de água no DF, bastou termos três anos seguidos com volume de chuvas abaixo da média histórica, para Brasília viver a maior crise hídrica da sua história”, completou.

O sistema envolve a captação de água do Lago de Corumbá, que será encaminhada para tratamento em Valparaíso de Goiás, em seguida, a água será bombeada para os municípios goianos de Luziânia, Novo Gama, Valparaíso de Goiás e Cidade Ocidental, além de cidades do Distrito Federal.

O ministro, Alexandre Baldy, garantiu que o Ministério das Cidades não permitirá a falta de recursos para entrega das obras.

Como anfitrião e representando os prefeitos das cidades do entorno, o prefeito Pábio Mossoró aproveitou para fazer um pedido ao ministro Baldy para que interceda pela liberação de recursos que estão em tramitação no Ministério das Cidades com destino a obras de infraestrutura. Em Valparaíso de Goiás, o governo municipal aguarda a liberação  de 116 milhões para obras de asfalto e saneamento no Setor de Chácaras Anhanguera.

As obras do BRT que liga Brasília à Luziânia, que beneficiará Valparaíso de Goiás, foi outro assunto debatido pelos dois governadores. Na oportunidade, Marconi Perillo entregou nas mãos do ministro das Cidades o relatório com pedido de liberação de recursos para elaboração do projeto final de engenharia do BRT. O relatório foi assinado pelo governador de Goiás Marconi Perillo, do DF Rodrigo Rollemberg e pelos prefeitos Pábio Mossoró, Cristóvão Tormin, Fábio Correa e Sônia Chaves.

A ação contou com as presenças dos ministros Moreira Franco, Alexandre Baldy, governador Rodrigo Rolemberg, Marconi Perillo, José Eliton, deputada Lêda Borges, presidente da Caesb, Mauricio Ludovice, presidente da Saneago Jalles Fontoura, prefeitos do entorno, vereadores e equipe de governo do município de Valparaíso.

 

 

Fonte e foto: Assessoria de Comunicação da Prefeitura de Valparaíso de Goiás

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*