Administração do Guará convoca quiosqueiros para recadastro imediato

Compartilhe nosso Trabalho

Após derrubada na QI  14, Executivo local, como já havia anunciado a reportagem do Blog do Amarildo, devem comparecer à ADM por meio de agendamento para colocar documentação em dia

Por Amarildo Castro – Após toda a polêmica que envolveu a derrubada do Quiosque do Tuga na QI 14 do Guará, o assunto continua a repercutir na cidade. E para evitar mais surpresas, a Administração do Guará optou por convocar todos os permissionários desse tido de empreendimento na cidade para que compareçam à sede do Executivo local para recadastro. Antes, é preciso ligar para agendar por meio do telefone 3686 2425, opção 5 ou baixar o aplicativo e-Cidades.

Dessa forma, a Administração do Guará, por meio de sua assessoria de imprensa informou que busca evitar novas derrubadas na cidade, e que o episódio da segunda-feira, 10 na QI 14 aconteceu porque havia na unidade várias irregularidades, e que a pessoa que atualmente tocava o empreendimento não estava cadastrada como permissionária ou mesmo estava recebendo as notificações, assim, após vários avisos para regularização, o quiosque sofreu o ato de derrubada, mas o Executivo local informou que não tem a intenção de fazer nenhuma ação dessa natureza em massa, e que na prática, busca deixar o segmento organizado e regular, mas para isso, precisa da compreensão dos permissionários, agilizando o recadastro.

Em estudo feito pela administração, foi constatado que o Guará tem 360 quiosques e trailers. No entanto, o Executivo  ainda não possui o número fechado sobre a situação de cada um, pois a quantidade de quiosques em situação irregular está sendo contabilizada a partir das manifestações de cadastro apresentadas pelos permissionários que encontra-se em andamento.

Para quem se encontra com o empreendimento fechado por alguma pendência ou mesmo esteja abrindo sem os devidos documentos, mas busca sua Autorização de Uso para trabalhar de forma regular, o ocupante do quiosque deve retirar, junto à Administração Regional, formulário o qual contém a relação todos os documentos, constantes no art. 25, do Decreto nº38.555/2017, necessários para regularização.

Após muitos questionamentos sobre a derrubada na QI 14, no último dia 10, em depoimento à reportagem do GuaráHOJECidades, a administradora do Guará, Luciane Quintana explicou que as ações demolitórias são determinadas após análise conjunta da Secretaria das Cidades e DF Legal e se dão para os mobiliários que encontram-se fora do padrão da Lei, quando não é possível a simples retomada. No entanto, até o momento, a Administração Regional do Guará não possui conhecimento da programação de novas demolições.

Em relação aos quiosques que estão sem funcionar, segundo o Executivo local, a situação já foi relatada junto à Secretaria das Cidades, e conforme identificados seus permissionários, estes vêm sendo convocados para as devidas providências.

A expectativa agora é que ainda este ano, todo o recadastro seja feito para evitar nova surpresas como o caso do quiosque da QI 14, que foi ao chão, segundo a administração por irregularidades. No caso desse quiosque, Joana Soares, que tocava atualmente o empreendimento ao lado do esposo Flávio, pretende recorrer para levantar novamente o quiosque. Mas a situação é nebuloso e só a Justiça poderá definir o que pode ser feito.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*