Gigante da construção civil investe em tecnologia inovadora em suas operações

A FG Empreendimentos, uma das maiores construtoras e incorporadoras do país, pensando em sustentabilidade e eficiência, passa a adotar em seu no fluxo operacional o BIM (Building Information Modeling). 

A industrialização da construção civil pouco a pouco começa a ganhar espaço no mercado brasileiro. Em Santa Catarina, a FG Empreendimentos, que figura como uma das mais importantes do segmento, já tem essa transformação na prática, visando não apenas otimizar processos, mas também focando na sustentabilidade. Agora, a empresa dá um novo passo rumo à transformação digital na construção civil adotando a metodologia BIM, integrando dados estruturados e multidisciplinares para produzir uma representação digital de um recurso em todo seu ciclo de vida, desde o planejamento até à construção.
Com a proposta de aumentar a produtividade das equipes em até 50%, o sistema BIM é uma tecnologia que possibilita o desempenho multidisciplinar e colaborativo das diferentes áreas associadas a edificações.

O diferencial da ferramenta, quando comparado aos métodos convencionais, é o uso da tridimensionalidade (3D) nos projetos, incluindo detalhes específicos sobre acabamentos, dimensões e a localização precisa de cada estrutura. Ao sobrepor os projetos de arquitetura, engenharia e edificação, a metodologia BIM oferece um modelo multidisciplinar a todos os agentes envolvidos nas diferentes etapas da construção civil, o que garante um resultado mais fidedigno à proposta idealizada. “A FG Empreendimentos, seguindo seu DNA inovador, investe na tecnologia para conferir ainda mais agilidade e eficiência em seus grandiosos projetos”, explica Jean Graciola, cofundador e presidente da FG.

A metodologia atua em prol da industrialização do segmento, conferindo maior agilidade e eficiência às fases construtivas. “O retorno desse investimento são obras mais rápidas e sustentáveis, na medida que evita erros e retrabalhos em todo o ciclo de vida construtivo, desde o planejamento até a execução”, justifica André Bigarella, diretor de engenharia da FG.

Para além de obras mais assertivas e céleres, a metodologia BIM permite a simulação do desempenho da obra. Colhendo índices que vão desde a eficiência energética e acústica até o desperdício de resíduos, a ferramenta se mostra como um investimento também em sustentabilidade. 

“Na FG Empreendimentos, nosso compromisso vai além do luxo, sofisticação e conforto: somos uma empresa sustentável que valoriza o desenvolvimento socioambiental e corporativo. Assim, poder investir em um sistema que permite analisar o impacto no meio ambiente dos projetos elaborados é reforçar o compromisso com nossos próprios valores”, destaca Camila Brandalise, arquiteta e gestora que está liderando a implantação na FG.

A engenheira Carolina Zart, analista de projetos da FG, reforça que a construtora já desenvolvia projetos 3D, utilizando algumas ferramentas do BIM, contudo, a partir de agora passa a implementar a ferramenta em sua totalidade. “Teremos melhoria na área de projetos, mas também para outras áreas, como planejamento, orçamento, obra, assistência técnica, entre outros, buscando sempre a excelência operacional”.

O BIM é uma metodologia já utilizada em muitos países e seus recursos permitem resolver os grandes desafios da área, com resoluções mais rápidas e precisas. “Com a implementação do BIM, podemos antecipar situações e interlocutores. Entre os principais ganhos estão a comunicação mais assertiva, a minimização de erros e eliminação de retrabalho, otimização de recursos, desenvolvimento de novas tecnologias e antecipação de cronograma”, pontua Bigarella.A implementação também possibilita um novo cenário no país, uma vez que produtividade na construção civil é um desafio do setor no Brasil.

Segundo dados da Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), ainda é quase 50% menor que a média da economia mundial. Segundo a associação, se metade das empresas adotarem a metodologia BIM, a economia da construção civil brasileira crescerá 7%. “Temos um departamento de inovação e os investimentos nesta área já nos permitem um crescimento acima da média, equiparando a padrões internacionais. Esse novo passo trará ainda mais destaque para os projetos e para a nossa região.

Balneário Camboriú já exporta tecnologia e inovações para todo o mercado e, com certeza, estamos preparados para este protagonismo com empreendimentos cada vez mais disruptivos”, sinaliza Jean Graciola, presidente da FG.Com a adoção deste sistema a construtora catarinense também assume um protagonismo junto a nova política industrial brasileira (NIB), sancionada no início de 2024. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (Mdic),  o objetivo é impulsionar o uso “de softwares e ferramentas” que promovam “a transformação digital” da construção civil e que a popularização dessas tecnologias contribuam para o crescimento e para a descarbonização do setor. 

Gigante da construção civil investe em tecnologia inovadora em suas operações
A FG Empreendimentos, uma das maiores construtoras e incorporadoras do país, pensando em sustentabilidade e eficiência, passa a adotar em seu no fluxo operacional o BIM (Building Information Modeling). 




A industrialização da construção civil pouco a pouco começa a ganhar espaço no mercado brasileiro. Em Santa Catarina, a FG Empreendimentos, que figura como uma das mais importantes do segmento, já tem essa transformação na prática, visando não apenas otimizar processos, mas também focando na sustentabilidade. Agora, a empresa dá um novo passo rumo à transformação digital na construção civil adotando a metodologia BIM, integrando dados estruturados e multidisciplinares para produzir uma representação digital de um recurso em todo seu ciclo de vida, desde o planejamento até à construção.


Com a proposta de aumentar a produtividade das equipes em até 50%, o sistema BIM é uma tecnologia que possibilita o desempenho multidisciplinar e colaborativo das diferentes áreas associadas a edificações. O diferencial da ferramenta, quando comparado aos métodos convencionais, é o uso da tridimensionalidade (3D) nos projetos, incluindo detalhes específicos sobre acabamentos, dimensões e a localização precisa de cada estrutura. Ao sobrepor os projetos de arquitetura, engenharia e edificação, a metodologia BIM oferece um modelo multidisciplinar a todos os agentes envolvidos nas diferentes etapas da construção civil, o que garante um resultado mais fidedigno à proposta idealizada. “A FG Empreendimentos, seguindo seu DNA inovador, investe na tecnologia para conferir ainda mais agilidade e eficiência em seus grandiosos projetos”, explica Jean Graciola, cofundador e presidente da FG.


A metodologia atua em prol da industrialização do segmento, conferindo maior agilidade e eficiência às fases construtivas. “O retorno desse investimento são obras mais rápidas e sustentáveis, na medida que evita erros e retrabalhos em todo o ciclo de vida construtivo, desde o planejamento até a execução”, justifica André Bigarella, diretor de engenharia da FG.


Para além de obras mais assertivas e céleres, a metodologia BIM permite a simulação do desempenho da obra. Colhendo índices que vão desde a eficiência energética e acústica até o desperdício de resíduos, a ferramenta se mostra como um investimento também em sustentabilidade. 


“Na FG Empreendimentos, nosso compromisso vai além do luxo, sofisticação e conforto: somos uma empresa sustentável que valoriza o desenvolvimento socioambiental e corporativo. Assim, poder investir em um sistema que permite analisar o impacto no meio ambiente dos projetos elaborados é reforçar o compromisso com nossos próprios valores”, destaca Camila Brandalise, arquiteta e gestora que está liderando a implantação na FG.


A engenheira Carolina Zart, analista de projetos da FG, reforça que a construtora já desenvolvia projetos 3D, utilizando algumas ferramentas do BIM, contudo, a partir de agora passa a implementar a ferramenta em sua totalidade. “Teremos melhoria na área de projetos, mas também para outras áreas, como planejamento, orçamento, obra, assistência técnica, entre outros, buscando sempre a excelência operacional”.

O BIM é uma metodologia já utilizada em muitos países e seus recursos permitem resolver os grandes desafios da área, com resoluções mais rápidas e precisas. “Com a implementação do BIM, podemos antecipar situações e interlocutores. Entre os principais ganhos estão a comunicação mais assertiva, a minimização de erros e eliminação de retrabalho, otimização de recursos, desenvolvimento de novas tecnologias e antecipação de cronograma”, pontua Bigarella.

A implementação também possibilita um novo cenário no país, uma vez que produtividade na construção civil é um desafio do setor no Brasil. Segundo dados da Associação Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), ainda é quase 50% menor que a média da economia mundial. Segundo a associação, se metade das empresas adotarem a metodologia BIM, a economia da construção civil brasileira crescerá 7%. “Temos um departamento de inovação e os investimentos nesta área já nos permitem um crescimento acima da média, equiparando a padrões internacionais. Esse novo passo trará ainda mais destaque para os projetos e para a nossa região. Balneário Camboriú já exporta tecnologia e inovações para todo o mercado e, com certeza, estamos preparados para este protagonismo com empreendimentos cada vez mais disruptivos”, sinaliza Jean Graciola, presidente da FG.

Com a adoção deste sistema a construtora catarinense também assume um protagonismo junto a nova política industrial brasileira (NIB), sancionada no início de 2024. Segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e Serviços (Mdic),  o objetivo é impulsionar o uso “de softwares e ferramentas” que promovam “a transformação digital” da construção civil e que a popularização dessas tecnologias contribuam para o crescimento e para a descarbonização do setor. 

Adriana Laffin | Apoio Comunicação

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*