Se as expectativas se confirmarem, a disputa do GDF em 2022 pode ter mais mulheres que homens

Compartilhe nosso Trabalho

Mesmo faltando quase dois anos para as próximas eleições no DF, acreditem, a prévia dos primeiros nomes não deve fugir da lista mencionada aqui por este blog

Por Amarildo Castro – Passadas as eleições para prefeito e vereadores em todo o Brasil, mesmo faltando ainda quase dois anos para o pleito no Distrito Federal, quando haverá a escolha de um novo governador, deputados distritais e federais, podem ter certeza, logo após meados de abril de 2021, o assunto ‘política’ na capital do país passará a nortear as rodas de bares, amigos e bastidores da mídia. Isso porque já desde então, findado 2020, o governador Ibaneis, assim como os deputados, lhes restarão dentro desta gestão, exatos 24 meses para o término. Então, a partir daí, tudo começa de novo. Na verdade, começa já em outubro de 2022, quando haverá eleições. E dentro desse contexto, quem está no páreo para pleitear a cadeira de governador?

Izalci, primeiro páreo para Ibaneis

Embora seja cedo, podem acreditar, por horas ainda não há muitos nomes, e nem mesmo o governador Ibaneis Rocha (MDB) fala sobre o tema, de praxe, deve ser candidato à reeleição. Na sua cola, ali do lado, já é possível dizer que o senador Izalci Lucas (PSDB) dever ser um de seus rivais no ring das eleições.

 Embora tenha dito que somente pretende amadurecer um pouco mais seu grupo, Izalci já luta pelo posto de governador há pelo menos oito anos, mas nunca conseguiu sair candidato ao GDF por questões partidárias e políticas. Em 2014, viu ruir seu projeto frente ao colega de partido Luiz Pitiman, que não teve sucesso nas urnas e desapareceu politicamente, não sendo agora nenhum empecilho para o senador.

No entanto, para 2022 pode esbarrar em outras questões. Seu suplente no Senado, o empresário Luiz Felipe Belmonte é marido da deputada Paula Belmonte (Cidadania). Embora não tenha nada sequer encaminhado para que Paula saia candidata ao GDF, todos os entendidos da política local afirmam que ela pode sim, ter interesse em disputar a cadeira principal do Executivo do DF. Se o fizer, poderia ser ruim para Izalci.

Paula Belmonte

Boa estrutura financeira, carisma e boa atuação empreendedora estão fazendo da deputada federal Paula Belmonte (Cidadania) outro forte nome ao GDF. Além de empresária de sucesso, Paula é empenhada em questões sociais e de educação, área que costuma ser ‘fonte’ de muitos votos. Mas como é cedo, Paula não tem falado muito sobre o assunto.

Flávia Arruda, durante sessão na Câmara dos Deputados: foto/assessoria

Flávia Arruda

Antes de ser eleita deputada federal, Flávia Arruda carregava como tema forte na política o seu sobrenome, o mesmo do ex-governador José Roberto Arruda (PR). Mas passados dois anos à frente do cargo, a brasiliense que hoje ocupa uma cadeira na Câmara dos Deputados já mostrou com sobras que sua capacidade vai muito além do sobrenome, e também é vista como forte nome ao GDF em 2022. Um dos seus pontos positivos é o trabalho em defesa da mulher.

Leila do Vôlei

Não ignorem o carisma e vontade de fazer política de outra gigante do sexo feminino. Trata-se da senadora Leila do Vôlei (PSB), a mais votada nas eleições para o cargo em 2018. Muitos acreditam que ela pode ser forte postulante ao GDF. Aliada do ex-governador Rollemberg, poderia até se ‘juntar’ ao ex-mandatário do GDF em busca de se fortalecer.

Júlia Lucy pelo retrovisor

Sem a presença das filhas do ex-governador Joaquim Roriz no cenário político, novas lideranças surgiram e com um perfil muito diferente da ‘velha política’. É o caso da deputada Júlia Lucy (Novo), que já afirmou não ter interesse em disputar o GDF nas próximas eleições, mas gente próxima à parlamentar já dá entender que ela se prepara para 2026, e não seria para uma reeleição para deputada. Então, meus queridos leitores, vocês mesmo tirem as conclusões para qual cargo ela viria…

No mais, ainda haverá tempo para mais gente pleitear o GDF, mas quem por horas não dá para cravar. Os nomes fortes ­por horas são os citados nesta reportagem.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*