Investimento em saneamento terá impacto de quase R$ 40 bilhões em Goiás, revela estudo inédito da FIEG/ABCON SINDCON

Compartilhe nosso Trabalho

Acelerar os investimentos para alcançar a universalização do saneamento em Goiás vai fazer com que o estado tenha um impacto positivo de R$ 39 bilhões na economia e a geração de 214 mil empregos

Os dados são do estudo inédito Impacto Econômicos da Universalização do Saneamento Básico em Goiás, realizado pela ABCON SINDCON, associação das operadoras privadas de saneamento, em parceria com a FIEG, Federação das Indústrias do Estado de Goiás.Segundo o estudo, para que essa realidade seja alterada, será necessário o investimento de R$ 24 bilhões no setor a fim de alcançar a universalização dos serviços no estado, o que equivale a um investimento de R$ 1,6 bilhão ao ano.A partir desse investimento, haverá um efeito multiplicador que atingirá os R$ 39 bilhões estimados, em setores como o da construção civil, materiais plásticos, máquinas e equipamentos, prestação de serviços, insumos e outras atividades.Em 2019, Goiás investiu apenas R$ 402 milhões no saneamento, de acordo com o SNIS – Sistema Nacional de Informações do setor. Portanto, o investimento precisa ser quatro vezes o atual para atingir a meta de levar água e esgotamento sanitário a todos até 2033, conforme preconiza o Plano Nacional de Saneamento Básico (Plansab).O Brasil como um todo apresenta dados estarrecedores sobre o nível de atendimento de abastecimento de água e esgotamento sanitário. De acordo com outro estudo elaborado pela ABCON SINDCON, em parceria com a consultoria KPMG, entre os anos de 2018 e 2033, seriam necessários investimentos de cerca de R$ 753 bilhões — ou R$ 50,2 bilhões ao ano — para universalizar o saneamento no país. Esse valor é mais de três vezes superior ao realizado em 2019 (R$ 15,7 bilhões, segundo o SNIS).

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*