Modelo Denver: eficaz para o tratamento precoce do autismo

Compartilhe nosso Trabalho

Próximo do Dia Mundial de Conscientização do Autismo, especialista fala sobre o tratamento e seus benefícios

O modelo Denver de Intervenção Precoce para crianças com autismo é embasado no modelo de desenvolvimento interpessoal de Rogers e Pennington e utiliza de princípios da análise do comportamento aplicada (ABA) na sua intervenção. De acordo com Giulianna Victoria Yoshie Kume, coordenadora do núcleo de TEA do Núcleo Paraense de Recuperação Motora Cognitiva e Comportamental (NUPA), (CRP08/17797), essa é a terapia com maior comprovação científica para tratamento precoce de autismo em crianças de 1 a 5 anos.

Esse tratamento é indicado para crianças no Transtorno do Espectro Autista (TEA) com idades entre 12 a 60 meses, e deve ser iniciado até os 36 meses para melhores resultados. “A partir da terapia ABA, utilizamos princípios de condicionamento operante, generalização e estratégias de ensino naturalístico. No ensino naturalístico, buscamos simular um ambiente menos estruturado como seria num contexto natural de aprendizagem da criança (escola, em casa, com amigos). Para isso, utilizamos de estratégias de brincadeiras, jogos, músicas e rotinas sensoriais, para o ensino”, elucida a especialista.

Neste modelo de tratamento, o autismo é trabalhado como uma falha no desenvolvimento social e da comunicação. Então, o programa foca nesse quesito, na construção de uma relação afetiva com a criança. “Essa é uma estratégia central do modelo, uma vez que no autismo há essa falha, a relação terapêutica deverá ser embasada no afeto e com atividades que otimizem e estimulem a comunicação. Assim, as atividades são desenvolvidas para que a própria relação seja reforçadora, estabelecendo vínculos mais profundos, resultando em interações mais orgânicas e espontâneas. Além disso, o ambiente de ensino é menos estruturado e positivo”, complementa.

Ainda de acordo com Giulianna, a avaliação  deve ser feita por um especialista, onde serão avaliados os principais marcos do desenvolvimento infantil que compreende as áreas: comunicação receptiva, comunicação expressiva, competências sociais, comportamento de atenção conjunta, jogo, cognição, imitação, motricidade fina, motricidade grossa, comportamento e independência pessoal. A partir da avaliação, é elaborado um plano de intervenção com metas para período de 12 semanas de intervenção, após é realizada nova avaliação. É uma intervenção multiprofissional intensiva, em que equipe trabalha sob supervisão de um profissional do Modelo Denver.

Sobre o Autismo

O Transtorno do Espectro Autista (TEA) é caracterizado por um déficit na comunicação e interação social, e comportamentos restritos. Estas dificuldades afetam não apenas a plena participação do indivíduo na sociedade, como também todo o seu processo de aprendizagem. Dados do CDC (Center of Deseases Control and Prevention), apontam que hoje existe um caso de autismo a cada 110 pessoas. Dessa forma, estima-se que o Brasil possua cerca de 2 milhões de autistas.

Sobre o Núcleo Paraense de Recuperação Motora Cognitiva e Comportamental (NUPA)

A clínica é referência no atendimento a pacientes com danos neurológicos e possui equipe especializada em diversas áreas, como: Fisioterapia, Fonoaudiologia, Musicoterapia, Neuromodulação e Terapia Ocupacional. O do NUPA está nos métodos de tratamento avançados, como Theratogs, PediaSuit, Bobath, Integração Sensorial, Contensão Induzida, ABA e DENVER. Para mais informações, acesse as redes sociais Facebook @nupa.belem  e Instagram @nupa.belem

Foto e texto: Colaboração do Núcleo Paraense de Recuperação Motora Cognitiva e Comportamental (NUPA)

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*