Administração do Guará promete sinalizar vias após acidentes no Guará Park

Compartilhe nosso Trabalho

Obras em muitos locais já estariam prontas há quase um ano, mas asfalto continua sem qualquer tipo de demarcação, causando acidentes constantes

Por Amarildo Castro – Se antes a demanda no Guará Park, bairro do Guará 2, eram ruas esburacadas e sem asfalto, após obras que ultrapassaram a casa dos R$ 20 milhões, a situação no local melhorou, mas não deixou os moradores satisfeitos. Isso porque várias ruas que receberam asfalto novo não foram contempladas ainda com nenhum tipo de sinalização, nem vertical ou horizontal. O resultado é que em alguns trechos acidentes se tornaram comuns, e há casos que colocam a vida dos moradores em risco, com carros acidentados adentrando no quintal de casas, como ocorreu recentemente na Chácara 14, logo na entrada do setor, quando um veículo quebrou o muro que cerca o lote e ficou ‘pendurado’ entre tijolos. Na última semana, um Honda CR-V foi o último veículo a se chocar contra um muro na mesma região. O carro ficou todo destruído e o muro idem.

Maior parte das ruas do Guará Park onde foram feitas obras, sinalização no asfalto não chegou , nem vertical, nem horizontal

Embora ‘ainda’ não houve mortes no local, a preocupação de moradores passou a ser constante, e todos por ali pedem a conclusão definitiva das obras, especialmente a sinalização, o que foi prometido pela Administração do Guará ao receber questionamento sobre o a situação das vias, em ema-il enviado pela reportagem.

O Executivo local esclareceu que as obras da região ainda estão em andamento. O órgão prometeu reforçar o pedido de sinalização.

Ainda de acordo com nota da administração, a Secretaria de Obras informa que os trabalho nos Lotes 2 e 3 do Setor Habitacional Bernardo Sayão estão em andamento. No momento, informou, cerca de 85% dos serviços de drenagem e pavimentação previstos nos atuais contratos foram executados. A nota conclui dizendo que é importante destacar que estão previstos nesses contratos os serviços de sinalização horizontal e vertical. Parte deles, inclusive, já foram executados nas principais vias que cortam a cidade. Aquilo que ainda não foi feito no que diz respeito à sinalização, será executado à medida em que os serviços forem evoluindo.

Moradores ansiosos

Mas enquanto a finalização das obras não acontece, como já havia publicado o Blog do Amarildo há quase dois meses, os moradores da região continuam preocupados com os constantes acidentes.

Os problemas, na avaliação dos moradores, são devido à falta de sinalização no setor e redutores de velocidades, no caso, quebra-molas. Os problemas são mais comuns na rua que divide as chácaras 20 a 40, perto da linha férrea.

“Precisa urgente de sinalização, do jeito que está aqui, não dá, o risco é grande para nós moradores”, citou José Matos, proprietário da chácara 17, que teve o portão derrubado. Ele afirmou que o risco devido à falta dessas melhorias nas ruas do setor é grande.

Outro morador do setor, Carlai Andrelino, diz que virou uma rotina ver carros passando pelas ruas em alta velocidade, sempre colocando a vida das pessoas em risco. Ele afirmou que passados mais de um ano, não dá para esperar mais pela sinalização da via e a colocação de quebra-molas. “É um risco desnecessário o que estamos passando aqui, são obras que custam pouco e vão garantir nossa segurança, por isso, pedimos ao Detran e Administração do Guará essas melhorias”, afirmou. A reclamação é ‘endossada’ pelo também morador local, Sr. Marcelo Ferrari.

Além da falta de sinalização, outros problemas preocupam os moradores. Um deles é o alagamento que acontece logo abaixo a linha férrea, no mesmo setor. Mais em baixo, onde foi feita uma galeria de águas pluviais, após reportagem do Blog do Amarildo que denunciou depósito irregular de lixo, uma cerca foi feita no local, mas há uma abertura feita provisoriamente na cerca, que continua aberta e com entrada de carros no local constantemente, não se sabe se por algum invasor ou se a pessoa estaria usando um acesso alternativo às chácaras da região.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*