Cartão Gás vai movimentar R$ 24 milhões até fim do ano

Compartilhe nosso Trabalho

Previsão foi apresentada pelo secretário de Economia do DF em encontro com empresários e líderes do setor de vendas de gás

O Programa Cartão Gás, lançado no último dia 10 de agosto pelo Governo do Distrito Federal (GDF), deve injetar mais de R$ 24 milhões nas empresas de revenda do gás de cozinha até o fim do ano. O número foi apresentado pelo secretário de Economia, André Clemente, nesta terça-feira (17), a empresários e líderes do Sindicato das Empresas Transportadoras e Revendedoras de Gás LP do DF (Sindvargas-DF).

Por meio do programa, as famílias receberão R$ 100 a cada dois meses para a aquisição do botijão de gás de 13 kg. O programa tem previsão inicial de 18 meses e deve garantir segurança alimentar para mais de 70 mil famílias em situação de vulnerabilidade social.

Durante o encontro, o secretário André Clemente destacou o caráter socioeconômico do programa, que, além de beneficiar famílias de baixa renda, deve reaquecer as vendas do setor de venda de gás, prejudicadas pela alta do preço do botijão durante a pandemia.

“Precisamos olhar para as pessoas, especialmente na pandemia. Não são apenas números, são pessoas. Vocês são um elo muito importante de nossa economia e para este programa. Graças a esta união, vamos alcançar mais famílias, melhorar a qualidade de vida de muitas pessoas, além de movimentar a economia”, afirmou.

O presidente do Sindvargas-DF, Janair Silveira, parabenizou a iniciativa da Secretaria de Economia em promover um encontro para debater o Cartão Gás e a participação das empresas: “Só temos a agradecer. Abre-se uma porta entre o governo e a categoria. Vamos buscar o maior número possível de revendedores para participar do programa.”

Segundo Silveira, cerca de 80% dos revendedores de gás do DF são de negócios familiares, micro e pequenos empresários. “São pessoas que precisam dessa venda que será garantida pelo GDF e que vai dinamizar o setor”, apontou.

Sérgio Costa, vice-presidente do sindicato, destacou a sensibilidade do governador Ibaneis Rocha, da Secretaria de Economia e da Secretaria de Desenvolvimento Social (Sedes), responsável pela gestão do cadastro de beneficiados. “Foi pensado um programa que atende à questão social e beneficia a economia”, disse.

Ao final da reunião desta terça-feira, os empresários puderam tirar dúvidas e receber orientações do secretário André Clemente e do corpo técnico da Secretaria de Economia. “Temos respeitado os empreendedores. Tomamos várias medidas de apoio ao setor produtivo no período da pandemia e, ainda assim, aumentamos a arrecadação”, destacou o titular da Economia.

Presente na reunião, o secretário de Empreendedorismo, Amós Batista de Souza, fez questão de destacar a disposição do GDF para o diálogo com a sociedade. “Temos feito política de forma diferente, ouvindo e atendendo o setor produtivo. Essa entrega tão importante para a sociedade e para as empresas é um exemplo disso”, afirmou.

As empresas interessadas em participar do Programa Cartão Gás já podem se inscrever junto à Secretaria de Economia, preenchendo o Termo de Adesão e entregando a documentação listada na Portaria nº 211, disponível no site do benefício no site da Secretaria de Economia.

Vendas

Para comprar o botijão de gás dentro do Programa Cartão Gás, as famílias receberão um cartão especialmente emitido pelo BRB e que só poderá ser usado para a aquisição do botijão de 13 kg.

Para fiscalizar o andamento do benefício, a Secretaria de Economia montou uma comissão técnica, composta por cinco servidores, que ficarão a cargo de manter uma articulação permanente tanto com as empresas cadastradas quanto com a Sedes.

Poderão receber o benefício pessoas já inscritas no Cadastro Único (CadÚnico) da Sedes, que devem fazer a solicitação para participar do programa pelo site do BRB. A lista final dos contemplados será divulgada em 31 de agosto e o governo espera iniciar a entrega do benefício a partir de setembro.

O objetivo do Cartão Gás é reforçar a segurança alimentar de famílias atingidas pela crise sanitária. Os participantes vão usar o cartão na função débito nos estabelecimentos cadastrados no programa para compra exclusiva do botijão.

Os requisitos para recebimento do auxílio são: estar inscrito no CadÚnico, ter renda familiar per capita de até meio salário mínimo, ter declarado comprometimento de renda com a aquisição do botijão de 13 kg, residir no Distrito Federal e ter idade igual ou superior a 16 anos.

Colaboração Agência Brasília

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*