COVID-19 – Vacinação em Valparaíso tem pausa de quatro dias por falta de imunizantes para primeira dose

Compartilhe nosso Trabalho

Comunidade local foi pega de surpresa na segunda-feira, dia 16. Desde então, movimento nos dois pontos de vacinação contra a covid-19 despencou

Um surpresa não muito agradável para os moradores de Valparaíso de Goiás que ainda não conseguiram se vacinar com a primeira dose dos imunizantes contra a covid-19 na cidade. Desde a última segunda-feira, dia 16, o município está sem estoque para a aplicação da primeira dose. Com isso, o número de pessoas que procuram o Ginásio do Jardim Oriente, assim como um ponto de vacinação na Etapa B, no Complexo Céu das Artes, não consegue vacina para a primeira dose. Antes, no entanto, o município chegou a vacinar 2.500 pessoas em um mesmo dia.

A reportagem não conseguiu falar com o prefeito Pábio Mossoró (MDB), nem com a Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Valparaíso, mas teve acesso à enfermeira Lidiane Lemos, que coordena a vacinação no bairro Jardim Oriente, no ginásio local. Ela garantiu que para a segunda dose, há estoque suficiente, e que o governo local trabalha com a perpectiva da chegada de mais imunizantes para a primeira dose nesta sexta-feira, dia 20. Para quem precisar tomar a segunda dose, o ginásio abre das 8h30 às 16h, assim como o ponto de vacinação no Complexo do Céu das Artes.

Entrada do Ginásio Jardim Oriente: ao contrário da semana passada, quando recebeu até 2.500 pessoas, está vazio

Reclamação

Como tudo que acontece na cidade repercute, vereadores da oposição se pronunciaram sobre a falta de vacina. Cláudia Aguiar (PSDB), disse que quem sofre é a população, que está há quatro dias sem a vacina para a primeira dose. “Infelizmente, prejudica, e acreditamos que isso poderia ser evitado”, resumiu.

Já o presidente da Câmara de Vereadores de Valparaíso, Plácido Cunha (Avante), afirmou que acompanha o caso e que o problema é de logística do Ministério da Saúde. “O governo local fez e vem fazendo sua parte, mas como todos sabem, muitas cidades não recebem a quantidade que precisam no tempo certo, mas acreditamos em uma solução até esta sexta-feira, dia 20.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*