De luz a asfalto, falta tudo nas novas e ‘modernas’ quadras do Guará

Compartilhe nosso Trabalho

QEs 48 a 58 ganham centenas de construções na pandemia e local tem ‘cara’ de bairro quase pronto, mas demandas na região vão desde a ruas empoeiradas à falta de iluminação. Furtos também preocupam quem está construindo

Por Amarildo Castro (Texto e fotos) – Escondidas atrás de um terreno quase montanhoso, na parte Sul do Guará II, as novas quadras da cidade, as QE 48 a 58 (antiga Cidade do Servidor) ainda são pouco observadas pelos moradores locais ou para quem visita a cidade. Estão encrustadas atrás da via que dá acesso ao Park Way, passando pela Colônia Agrícola IAPI, ali na descida para o Núcleo Bandeirante, como alguns costumam dizer. No entanto, basta adentrar ao local para ver o quanto essas novas quadras evoluíram na parte de sua construção. Se antes da pandemia coronavírus umas três ou quatro dezenas de casas por lá estavam sendo erguidas, agora o local ganhou ares de cidade, com centenas de construções prontas ou em andamento. Assim, com esses ingredientes, e com muitas demandas, surgem as novas e cobiçadas quadras do Guará, que ao todo vão trazer para a cidade pelo menos mais 20 mil moradores já de imediato, no máximo até o meio do próximo ano.

Até construções com nítida intenção de abrigar quitinetes já podem ser vistas no novo bairro: lei branda


Em um rápido sobrevoo pelo local, com ajuda de um drone, a reportagem do Jornal GuaráHoje Cidades constatou que os donos dos lotes nas novas quadras não perdem tempo. Há construções de todos os tipos e ‘gostos’, casas bem planejadas, com uso extravagante de vidraças, e além de tudo, alguns novos e velhos problemas que o Guará enfrenta. Um deles é a presença de miniprédios em alguns lotes, já com a clara intenção dos donos em alugar quitinetes. Por outro lado, as demandas são típicas de uma cidade nova, muitas delas, segundo os proprietários, são uma obrigação do Governo do Distrito Federal, que não teria cumprido em várias gestões, a promessa de entregar essas quadras totalmente urbanizadas, com luz, água e asfalto em todas as ruas. O que não está acontecendo.

Em muitos locais, além da intensa poeira, iluminação é precária


Há dois meses, a reportagem do Jornal GuaráHoje Cidades vem recebendo reclamações de moradores locais, os donos dos lotes daquela região, onde afirmam que uma das principais demandas é a falta de asfalto em várias ruas, além de iluminação precária. Isac Naves, que mudou-se para o local recentemente afirma que o problema não estão somente na porta das novas construções, e que para chegar à região, não há sequer iluminação adequada. “Na pista que liga a QE 38 às novas quadras, não tem um poste de iluminação sequer, e ainda há um bueiro enorme aberto no meio da pista, um risco para nós moradores”, relata.

“Meu filho pedala e se faz necessária um ciclovia e um ponto de econtro comunitário para a prática de exercícios. Sem contar que não temos asfalto em várias ruas”, disse Luzinete Francisca, dona de casa e moradora da QE 56


Na QE 56, uma das novas quadras que estão com as construções muito avançadas, boa parte já prontas, vários moradores reclamam das incertezas de ter um bairro organizado, e com áreas de lazer. Erguendo sua casa na quadra, o servidor público Ricardo Alonso relatou que sua maior preocupação é ver o novo bairro com um posto de saúde, uma ciclovia e pequenas áreas de lazer. “A gente comprou sem questionar sobre isso, mas agora entende que se faz necessário”, acredita.

Éder Camilo sonha com instalação de um parque vivencial na região e diz que demandas são muitas


Dona Luzinete Francisca dos Santos, que já está morando na região, na Quadra 56, diz que o filho pedala e se faz necessária um ciclovia e um ponto de econtro comunitário para a prática de exercícios. Pede ainda, com urgência, o asfaltamento das ruas.

Construindo uma casa no bairro, o servidor público Ricardo Alonso disse que é preciso um posto de saúde

Poeira sem fim

Maioria dos atuais residentes das novas quadras do Guará (antiga Cidade do Servidor), quer melhorias urgentes. “Quando comprei e me falaram de um parque ecológico, não sei se vai sair, mas é necessário, além disso, precisamos de uma ciclovia, tudo o que a gente vai fazer, precisa sair daqui, sem contar o furto de material de construção, algo que ocorre todas as semanas”, relata o servidor público Eder Camilo, um dos primeiros a chegar à região com sua família para morar. Ele ainda reclama das ruas sem asfalto, e diz que o governo prometeu essa melhoria no ato da compra.

Lugar continua servindo também de depósito de lixo

O que diz a ADM

A reportagem enviou à A Administração Regional do Guará um e-mail questionando sobre a falta de asfalto nas novas quadras do Guará, assim como iluminação precária e que que a região pode ou deve receber em melhorias na sua infraestrutura, como praças e alguma unidade de saúde.


A assessoria do Executivo local informou que a pavimentação asfáltica nas quadras QE 56 e 58 depende da finalização do projeto de uma lagoa de amortecimento, que está sendo realizado pela Secretaria de Obras. A administração afirmou que já elaborou os projetos das praças e encaminhou à Terracap para dar andamento.

Visão aérea do local em foto de Carlos Tabanez

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*