Dia do Leitor: dicas para incentivar a leitura ainda na fase infantil

Compartilhe nosso Trabalho

Neste momento em que a maioria das famílias ainda estão em casa, ler com as crianças e incentivar o hábito da leitura pode transformar a relação familiar em algo mais prazeroso, além de aumentar os laços afetivos. Outro benefício é estimular o exercício da imaginação e o equilíbrio das emoções, essenciais neste período de incertezas.

A literatura também consegue ajudar a conversar sobre a morte, medos, raiva, e outros temas considerados “difíceis”, pois os livros são ótimos recursos para abrir espaços para boas conversas. Textos que trazem narrativas com temas delicados ajudam as crianças a elaborarem seus sentimentos e enfrentarem diversas situações, por meio das metáforas e narrativas criadas por diferentes autores.

“A dica é aproveitar qualquer tempinho livre e fazer desse momento algo prazeroso para todos. É possível associar a leitura com outras atividades da rotina, como ler antes de dormir, ou para inventar uma brincadeira a partir da história lida, por exemplo”, diz Mariana Bruno Chaves, formada em Letras pela USP e responsável pelo desenvolvimento do material didático de Língua Pátria do Kumon.

Conhecer novos contos amplia a capacidade de imaginação. Ao ler ou ouvir uma história, conhecemos novos mundos reais e imaginários. Isso torna a nossa mente mais flexível – condição fundamental para a resolução de problemas.
“A atividade também pode contribuir para um sono mais tranquilo. Com o contato seguro e afetivo entre pais e filhos, os pequenos se sentem acolhidos para mergulharem no universo da fantasia e do sonho. Uma boa história, ativa áreas do córtex motor, sensorial e frontal: fundamentais para assimilação de novas informações e para a construção de vínculos”, ressalta Mariana que também é especialista em Literatura Infanto-juvenil.
Para que este momento em casa seja prazeroso para ambos, é importante procurar títulos de interesse da criança, fazer a mediação da leitura e compartilhar as opiniões. Elas aprendem com os pais e seguem o exemplo.
Dicas da especialista:·      Crianças aprendem pelo exemplo – vendo adultos lendo;·      Deixem os títulos por perto, de fácil acesso para criança;·    Conversem sobre os livros – a leitura pode virar assunto da família, assim como as notícias ou programas de televisão. O curso de português oferecido pelo Kumon tem como objetivo formar leitores, e que, gradativamente, desenvolve as habilidades linguísticas, partindo da alfabetização até a leitura e interpretação de textos críticos. “O leitor crítico é aquele que tem total domínio da leitura, linguagem escrita, com capacidade de reflexão em maior profundidade, podendo ir mais fundo no texto e atingir a visão de mundo ali presente”, completa Mariana.
Sobre o Kumon Criado no Japão em 1958, pelo professor Toru Kumon, o método utiliza os chamados exercícios-guia para que o aluno realize as atividades com o mínimo de intervenção do orientador. Somente após absorver totalmente a informação, avançam para os níveis subsequentes. O método de estudo está presente em 57 países e reúne mais de 4 milhões de estudantes. No Brasil são mais de 1.550 unidades em quase 580 cidades, somando mais de 180 mil alunos, do total de 200 mil estudantes na América do Sul. Mais informações no site www.kumon.com.br ou pelo telefone 0800 728 1121. 

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*