Reunião para discutir o PDOT no Guará tem polêmica e gritaria, mas termina bem

Compartilhe nosso Trabalho

Proposta do GDF é reunir a comunidade para apresentar principais demandas, em oficinais que abordam pontos positivos e negativos sobre regularização de terrenos entre outros temas

Por pouco não acaba em empurra-empurra a segunda audiência pública para discutir alterações do Plano Diretor de Ordenamento Territorial do Distrito Federal (PDOT-DF). A reunião aconteceu na tarde deste sábado, no Centro de Educação Profissional Escola Técnica do Guará, Professora Teresa Ondina Maltese, e se estendeu até o início da noite do mesmo dia.

No grupo que discutiu o PDOT no Guará, teve bate boca e muita polêmica

Para melhor atender à comunidade, os representantes do GDF optaram por dividir os presentes em três grupos, sendo um do Guará, outro do Núcleo Bandeirante e Riacho Fundo e um terceiro com representantes da Vicente Pires.

O que era para ser apenas uma reunião, teve momentos tensos, com bate boca e um ‘quase empurra-empurra’ entre lideranças, algumas irritadas com a proposta do governo, criticando falta de planejamento na reunião. Mesmo assim, depois de meia hora, os ânimos se acalmaram, e em ritmo de oficina, os representantes do governo colheram informações com os presentes, e pediram para que alavancassem os pontos positivos e negativos de cada segmento na cidade a que interessa a revisão do PDOT, como regularização de terrenos, meio ambiente e ordenamento territorial.

Professor Klecius de Oliveira disse que é preciso uma proposta para se discutir

“Ninguém entende nada, deveriam trazer uma proposta, e não esse negócio de oficina, criticou José Gurgel, que esteve tanto no grupo do Guará, como no grupo da Vicente Pires.

A empresária Nágela Maria, do Polo de Moda, afirmou que é preciso atenção com essa revisão, porque há setores que carecem de regularização e nunca foram atendidos. “ Havia um terreno na QE 40 que era para função social, e estão invadindo tudo, precisamos da ‘mão’ do governo para resolver isso”, citou.

O radialista Joel Rodrigues lembrou que a cidade está cheia de invasões, especialmente na Orla do Guará II, e que até agora, ninguém fez nada para inibir essas invasões”, analisou.

A administradora do Guará, Luciane Quintana acompanhou reunião

Já o professor Klécius Oliveira, afirmou que para discutir algo é preciso antes apresentar uma proposta, e que isso não foi feito.

Gilberto Camargos, de Vicente Pires: “Os deputados precisam nos defender”

Vicente Pires

Já na reunião da Vicente Pires, Gilberto Camargos, que edita um jornal em sua cidade, disse que não adianta discutir o tema sem pressionar os deputados para ficar do lado do povo. “Temos exemplo onde nossos parlamentares se posicionam ao lado dos empresários, empresário quer construir prédios, ganhar dinheiro, e isso não interessa para nós moradores, queremos qualidade de vida”, pontuou.

O administrador do Núcleo Bandeirante, Adalberto de Carvalho também acompanhou a reunião de forma presencial

Núcleo Bandeirante

No grupo do Núcleo Bandeirante, a reclamação principal citada foram a falta de acessos à UPA, assim como transporte precários para sair ou chegar à cidade.

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*