Sancionada Lei Distrital para resolver o problema dos prédios abandonados

Compartilhe nosso Trabalho

Iniciativa da Deputada Distrital Júlia Lucy (NOVO) cria uma política de combate a edifícios abandonados que causem degradação urbana_
O Distrito Federal possui uma grande quantidade de prédios abandonados – só em Águas Claras são 12 edifícios nesta situação. 


Seja por falta de amparo legal ou de interesse dos donos, os moradores que convivem diariamente com esta situação passam anos, às vezes décadas, sem ver um desfecho, o que causa uma série de problemas para a comunidade: desvalorização, problemas sanitários e aumento da violência, entre outros.


Para resolver esse problema, foi sancionada a lei 6.911/21, que cria uma política de combate a edifícios abandonados que causem degradação urbana.A nova legislação pretende facilitar a ação do Poder Público para iniciar processo administrativo, de ofício ou por provocação, a fim de declarar que um imóvel abandonado causa deterioração urbana. 
Sendo constatado isso, garantida a ampla defesa e contraditório, o DF poderá arrecadar esses imóveis e tomar as seguintes medidas para solucionar o problema: Efetuar reparos emergenciais e de segurança; tomar medidas de higiene; destiná-los para programas e projetos habitacionais de interesse social desenvolvidos por órgãos ou entidades da administração pública; implantar equipamentos públicos e comunitários e implantar equipamento cultural ou esportivo.


Para a autora da proposta, Deputada Júlia Lucy, a medida irá trazer mais segurança e qualidade de vida para a população. “Com a lei, os moradores não sofrerão indefinidamente com os problemas trazidos com as batalhas judiciais, falências de empresas e outras questões das quais nada têm a ver e o Poder Público poderá tomar medidas efetivas para proteger o cidadão e cuidar do interesse de todos”. 


Com a sanção do Governador Ibaneis, o GDF tem agora 20 dias para regulamentar a lei.

Foto e texto: Colaboração da ASCOM | Deputada Distrital Júlia Lucy (Novo)

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*