Em Goiás, Caiado garante absorvente a carentes e no DF, Rafael Parente critica Planalto

Compartilhe nosso Trabalho

Veto ao projeto que garante distribuição de absorventes a mulheres carentes pelo presidente Bolsonaro continua rendendo comentários e críticas país afora

Passada quase uma semana após veto em parte do PL 4.968/2019 da deputada Marília Arraes (PT-PE), que pedia a distribuição de absorventes para estudantes de baixa renda e para mulheres em situação vulnerável,  o presidente Jair Bolsonaro, sem partido, até chegou a sancionar a criação do Programa de Proteção e Promoção da Saúde Menstrual (Lei 14.214). No entanto, como maioria acompanhou, vetou a previsão de distribuição gratuita de absorventes femininos. Mesmo passada quase uma semana, o assunto ainda rende muitos comentários e propostas.

Em Goiás, o governador Ronaldo Caiado (DEM), logo em seguida a publicação do veto, garantiu que o Estado vai sim, oferecer em breve absorventes para o grupo de estudantes carentes e mulheres em situação de risco.

O assunto continua sendo comentado nas redes socais em diversos Estados. No DF, nesta segunda-feira, 11, o ex-secretário de Educação do Governo Ibaneis Rocha, e agora pré-candidato ao GDF pelo PSB, Rafael Parente, lembrou que Bolsonaro ao falar que para garantir absorventes teria que tirar da Educação e da Saúde, também precisaria tirar das ‘rachadinhas’, do dinheiro do Centrão, dos supersalários dos militares ou importação de armas.

Ao que tudo mostra, o assunto vai render muito, e alguns críticos acreditam que será lembrado na eleição.

Se a briga entre Bolsonaro e Lula já está declarada antes mesmo da pandemia, imagina agora? A cada passo, seja de um lado ou de outro, gera comentários entre aliados e opositores de cada lado. Vale lembrar que o PSB, partido de Rafael Parente está praticamente ‘fechado’ com Lula no DF, e obviamente, o ex-secretário de Educação não iria perder a chance de alfinetar Bolsonaro em uma questão que mexe com tanta gente, e certamente beneficiaria um número grande de pessoas, caso a distribuição de absorventes fosse aprovada.

Mas seu grupo afirma que a questão não é política, e sim social.

A foto de Rafael parente é uma reprodução de seu Instagram, a de Caiado, é de Amarildo Castro

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*