Secretaria de Direitos Humanos e Clube de Costura realizam Curso Básico de Costura para adolescentes indígenas venezuelanas em situação de vulnerabilidade

Compartilhe nosso Trabalho

Formação foi realizada por meio do projeto social “Costurando Pontes”

Goiânia, agosto de 2021
Depois de ministrar a formação para o grupo de mulheres trans, imigrantes e refugiadas em julho em parceria com o Ministério Público do Trabalho de Goiás (MPT-GO), na última semana, o Clube de Costura, por meio do projeto social “Costurando Pontes” que visa colaborar com o aprendizado de grupos vulneráveis, ministrou o curso BÁSICO DE COSTURA para adolescentes do sexo feminino, imigrantes e refugiadas da Venezuela, em parceria com a Secretaria Municipal de Direitos Humanos e Políticas Afirmativas. Pertencentes à etnia Warao, as adolescentes indígenas, que fazem parte dos cerca de 260 mil refugiados e migrantes venezuelanos que vivem atualmente no Brasil, segundo estimativa do Governo Federal e dados da Agência da ONU para Refugiados (ACNUR), têm rica tradição em artesanato e costura a mão de peças como vestidos típicos da comunidade e de itens como slings para bebê.

“As alunas foram selecionadas pela prefeitura, que dispôs de transporte, alimentação e um tradutor durante todo o curso. Nós do Clube de Costura fomos responsáveis por coordenar, ministrar, ceder o espaço e todo material necessário para as aulas. Foi uma troca muito rica, na qual foi possível despertar nas alunas o interesse por novos aprendizados, bem como valorizar os saberes que elas também trouxeram e compartilharam conosco, muitos deles passados de geração em geração”, afirma Rogelia Pinheiro, supervisora do Clube.

A secretária Municipal de Direitos Humanos, Dra. Cristina Lopes Afonso destaca que a seleção das alunas foi feita adotando o critério de extrema vulnerabilidade de mulheres que praticam a coleta de dinheiro em sinais que não tiveram acesso a cursos de formação. “A parceria dos setores públicos e privados se apresenta como caminho sólido para a efetivação de políticas e ações públicas, resultando em maior equilíbrio social. Espero que esse tenha sido um curso de muitos outros que virão”, afirmou Cristina.

Respeitando os protocolos vigentes, o grupo foi formado por cinco alunas, o que possibilitou o distanciamento necessário para o combater a disseminação da pandemia do coronavírus. Realizado entre os dias 02 e 06 de agosto, o curso possibilitou às alunas aprender a manusear a máquina, praticar exercícios, aplicação de zíper, pences, barras e a finalização de um vestido. Ao final todas receberam um Certificado de participação.  Sobre o Clube de Costura Projeto institucional do Mega Moda com foco em profissionalizar e desenvolver a moda, o Clube de Costura se destaca pelo seu compromisso pela busca de um mercado de moda mais consciente e o engajamento social. Em 2019, venceu o Prêmio Abrasce, na categoria Campanhas Institucionais – Shoppings com ABL menor que 30 mil.

Texto e foto: FR&SR Social Mídia

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*