Com novo investimento, Educação de Goiás na ‘Era Caiado’ alcança marca histórica de R$ 2,6 bilhões

Compartilhe nosso Trabalho

Verba será aplicada em terceira etapa do programa Reformar e segunda do Equipar, que consiste na destinação de orçamento específico para cada escola adquirir, de forma direta e descentralizada, equipamentos como computadores, materiais de laboratório e utensílios de cozinha, que somam R$ 240 milhões. Estado ainda providenciará compra de itens de mobiliário escolar e laboratórios móveis de informática, avaliados em R$ 127 milhões. Valor da merenda escolar é reajustado em 76% para 2022. “Ao investir, teremos os resultados e, em breve, o Brasil todo vai copiar nossas ações”, afirma governador


O governador Ronaldo Caiado anunciou, nesta quinta-feira (04/11), investimentos da ordem de R$ 367 milhões para programas de reformas e modernização de unidades escolares, aquisição de móveis e instalação de laboratórios, por meio da Secretaria Estadual da Educação (Seduc). A divulgação ocorreu durante o 1º Encontro com os Gestores das Unidades Educacionais da Rede Estadual de Ensino, realizado no Centro de Cultura e Eventos Professor Ricardo Bufáiçal, da Universidade Federal de Goiás (UFG), em Goiânia. Com isso, os valores destinados para o setor ultrapassam a marca histórica de R$ 2,6 bilhões. Ele ainda garantiu o reajuste, em 76%, no repasse dos valores da merenda escolar para 2022.

“Tenham a certeza de que, ao investir, teremos os resultados e, em breve, o Brasil todo vai copiar nossas ações de governo”, projetou. Ao falar aos gestores educacionais, Caiado defendeu que “a maior lição” que pode deixar é a priorização da educação. “Vocês são as ferramentas transformadoras da vida e da qualidade de vida das pessoas no Estado de Goiás”, reconheceu. “Um governador só vai ser lembrado, na sua trajetória de vida, se ele entender que é na educação, é com professores e professoras, que nós mudaremos a condição do cidadão”, declarou.

A maior fatia da verba será destinada a dois projetos. Caiado fez o lançamento da terceira etapa do programa Reformar (Recurso Estadual de Fomento, Organização, Reforma, Modernização e Adequação da Rede) e da segunda fase do Equipar, que consiste na destinação de recurso específico para cada escola adquirir, de forma direta e descentralizada, equipamentos como computadores, materiais de laboratório e utensílios de cozinha. Juntas, as duas iniciativas somam R$ 240 milhões em investimentos. 

O governador Ronaldo Caiado, durante 1º Encontro com os Gestores das Unidades Educacionais da Rede Estadual de Ensino, anuncia investimento de R$ 367 milhões para o setor e reajuste de 76% no valor da merenda: “Nosso governo quer dar dignidade e condições aos jovens, para que sejam vencedores”

Simbolicamente, Caiado também iniciou a entrega de 68.348 itens de mobiliário escolar e 783 laboratórios móveis de informática. O valor investido na aquisição dos móveis foi na ordem de R$ 21,1 milhões e, nos laboratórios, de aproximadamente R$ 106 milhões. 

“Nós revolucionamos a educação no Estado”, assinalou Caiado, que acredita ter, nas ações implementadas no setor, uma gama de “ações precisas”, com base em um “diagnóstico perfeito”. “Ninguém acreditava que nós chegaríamos a esse padrão de educação no Estado. Basta chegar na escola e ver que que tudo mudou. Onde esteve esse dinheiro em Goiás durante 20 anos?”, questionou.

A secretária de Estado da Educação, Fátima Gavioli, enfatizou o valor do repasse da merenda escolar, o qual não recebia reajuste há 20 anos e, agora, foi acrescido em 76%. “As escolas estavam passando muita dificuldade para garantir uma merenda equilibrada de acordo com o que a nutricionista determina. Esse reajuste, sem dúvida, vai permitir que eles melhorem a qualidade da alimentação escolar”, afirmou, ao frisar que o preço dos alimentos básicos subiu consideravelmente.

*Programas*A terceira etapa do Reformar contemplará todas as instituições de ensino da rede pública estadual. Cada uma delas receberá, por meio do Conselho Escolar, R$ 100 mil. O recurso deverá ser aplicado prioritariamente na instalação de poços artesianos nas unidades escolares. A medida busca ser uma alternativa no enfrentamento à crise hídrica e contribuirá para a redução na conta de água. 

A escola que já possuir poço artesiano poderá investir a verba na adaptação de refeitórios nos Centros de Ensino em Período Integral (Cepi); implantação de centrais de prevenção e combate à incêndios; reformas de pisos, banheiros e cozinhas; e para instalação e adaptação de itens de acessibilidade.  

A segunda etapa do Equipar também beneficiará todas as unidades escolares de Ensino Fundamental e Médio, incluindo as de ensino regular, tempo integral e os colégios militares. Cada escola receberá R$ 155 mil, que deverão ser investidos na implantação de energia solar. A empresa contratada será responsável pela elaboração do projeto e instalação do sistema de placas fotovoltaicas. A meta do Governo de Goiás é tornar as instituições de ensino mais sustentáveis do ponto de vista energético. 

*Laboratórios*O investimento de R$ 106 milhões é para a aquisição de 783 laboratórios móveis de informática. Cada um será composto por um armário para armazenamento e recarga de eletrônicos e vai comportar até 42 equipamentos portáteis, incluindo 36 Chromebooks para uso dos estudantes e cerca de oito para professores. Neste primeiro momento terão prioridades para receber os recursos instituições que ainda não possuem laboratórios físicos de informática. 

A meta é que, até o final de 2022, todas as escolas e colégios da rede estadual contem, ao menos, com um laboratório móvel para uso. A principal vantagem dos laboratórios móveis diz respeito à mobilidade dentro da escola, uma vez que os equipamentos podem ser facilmente transportados de sala em sala e demais ambientes escolares. 
*Mobiliário*Para fazer a reposição do mobiliário escolar em toda a rede pública estadual, o Governo de Goiás investiu R$ 21,1 milhões na compra de 68.348 itens. A nova aquisição inclui 60 mil conjuntos aluno (cadeiras e carteiras), 4 mil conjuntos professor (mesas e cadeiras), 1.573 cadeiras giratórias, 1.338 mesas de trabalho com gaveteiro, 1.092 cadeiras para mesas de reunião, 157 mesas de reunião, 143 cadeiras longarinas (três lugares) e 45 mesas retangular. Todos os móveis atendem às exigências do padrão de qualidade do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (Fnde), do Ministério da Educação (MEC). 

O diretor do Colégio Estadual Olga Aguiar Mohn, localizado em Cristalina, Deiler Martins, relatou que a instituição foi inaugurada em 1961, mas a única pintura havia ocorrido somente em 1999. O programa Reformar transformou essa realidade. “Quando a gente assumiu a gestão, o sonho era ter aquela escola bonita. Imaginem 22 anos sem pintar as paredes. Então, veio o primeiro Reformar e a gente, literalmente, reformou toda a escola”, lembrou. 

O Equipar também evidenciou uma via inédita de benfeitorias na rede estadual. “Nós tínhamos uma escola sucateada”, contou Marily Mariano, gestora do Colégio Estadual Raulina da Fonseca Paschoal, situado em Marzagão. A diretora lembrou o dia em que anunciou a chegada de R$ 157 mil para aquisição de equipamentos. “Nós nunca tivemos isso”, comentou, ao destacar que todas as escolas são igualmente atendidas.

A deputada federal Flávia Morais classificou a atuação governamental como uma “revolução silenciosa” na educação que proporcionou dignidade à comunidade escolar em cada canto do Estado. O deputado federal Glaustin da Fokus acredita que os avanços no setor educacional são coerentes com a conduta do governador Ronaldo Caiado. “Quero dar os parabéns por conduzir esse Estado com seriedade”, defendeu. 

Sobre a proposta do governador Ronaldo Caiado de criar o Bolsa Estudo, com destinação de R$ 100 para os alunos do Ensino Médio, o deputado estadual Bruno Peixoto explicou que a tramitação do projeto ocorre como prioridade na Assembleia Legislativa. O também deputado estadual Virmondes Cruvinel destacou a parceria estabelecida entre os poderes Executivo e Legislativo. “Temos muitas pautas e vemos transparência com uso do recurso público por parte de Caiado”, assinalou. 

*Bilhões em investimentos* Desde o início da gestão, o governador Ronaldo Caiado, por meio da Seduc, atingiu marca histórica de R$ 2,6 bilhões para a área educacional. Os valores estão sendo aplicados em todos os 246 municípios goianos. Entre 2019 e 2021, o Estado reformou mais de mil unidades escolares, construiu quadras, destinou verbas para compra de equipamentos, distribuiu uniformes, tênis, kits escolares e ampliou recursos para implantação de laboratórios de tecnologia e robótica. Segundo o governador, a ampliação de verbas para o setor “é resultado de uma gestão eficiente e que tem responsabilidade para com o dinheiro público”.

A distribuição de Chromebooks para todos os alunos do último ano do Ensino Médio é um exemplo dos investimentos realizados no setor. Foram adquiridos 60 mil aparelhos, ao custo de R$ 144 milhões. A meta do Estado é dar a esses alunos condições de ampliar conhecimentos na preparação para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), considerado a principal porta de entrada para a universidade.

“Chegamos à Educação do século 21. Sem dúvida, saímos de um quadro analógico para um momento digital, mais sofisticado, mais moderno, atual e com o objetivo único de gerar conhecimento”, afirmou Caiado. Ele diz que espera que os alunos da rede estadual tenham condições isonômicas de estudo e novas oportunidades. “Nosso governo quer dar dignidade e condições aos jovens, para que sejam vencedores, para que tenham formação, qualificação e condições de chegar ao ensino superior”, projetou.

Outra ação da atual gestão foi o envio, na última quarta-feira (03/11), para a Assembleia Legislativa de Goiás (Alego), de projeto de lei que institui o Programa Bolsa Estudo. O auxílio, vinculado à Seduc, consiste na transferência mensal de R$ 100 a todos os alunos do Ensino Médio da rede pública estadual de ensino. O objetivo é incentivar a aprendizagem e a permanência dos estudantes em sala de aula.

Serão beneficiários do programa todos os que estejam na última fase de aprendizagem do Estado de Goiás, nos anos de 2021, 2022 e 2023. A bolsa será paga exclusivamente nos meses de fevereiro a junho, e de agosto a dezembro. A expectativa é de que o Bolsa Estudo contemple cerca de 218 mil estudantes ainda neste ano, que terá o Gabinete de Políticas Sociais (GPS) como parceiro no monitoramento e na articulação institucional.

O Governo de Goiás prevê que o impacto orçamentário e financeiro estimado da proposta será de R$ 21,8 milhões para o exercício de 2021. Já para os anos de 2022 e 2023, o impacto será de R$ 233,2 milhões e R$ 248,6 milhões, respectivamente.

*Presenças*Ainda estiveram presentes à solenidade os deputados estaduais Júlio Pina e Chico KGL, a vice-reitora da UFG Sandramara Chaves; as subsecretárias da Seduc Selma Bastos (Governança Educacional) e Helena da Rocha Bezerra (Execução da Política Nacional); o comandante do Comando de Ensino da Polícia Militar de Goiás, tenente coronel Luciano Souza Magalhães; a coordenadora regional de educação de Goiânia, professora Enicéia Cristiana Morais; o prefeito de Formoso Halison do Leilão, além de  superintendentes e gerentes da rede estadual de educação.
_Foto: André Saddi_



Texto e fotos: colaboração da Secretaria de Comunicação – Governo de Goiás

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.


*